Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Os delatores

01/01/2017

NOTA– Você vai ler um comentário independente, sem enganos, sem mentiras. Se Você entender que não deva prosseguir com sua leitura, delete-o. Nunca suporte o que não gosta. Se não ler, vai perder a oportunidade de conhecer a verdade.

 

Para nós, brasileiros, quando andamos pelo exterior, quando somos notados como brasileiros, ouvimos sempre alguém lembrar: Neymar, Pelé, Rio de Janeiro, Copacabana, por aí, o que, em termos nos fazem orgulhosos.


A cidade do Rio de Janeiro sempre se constituiu, para nós, na Cidade Maravilhosa, contada e decantada em muitos carnavais mas, de uns tempos até a esta parte, temos que esconder para que não descubram que somos brasileiros no exterior.


Não sei se a sociedade brasileira está consciente dos acontecimentos políticos nacionais. Das impressionantes patifarias promovidas pelo então governador Sérgio Cabral, do Rio de Janeiro, as propinas que recebeu, as jóias que foram adquiridas por ele e por sua mulher, os formidáveis passeios em companhia do “professor” Lula, até com noitadas em Paris, à conta dos nossos bolsos...


O senhor Cabral e sua mulher estão atolados até as orelhas em falcatruas. Não tem como dizer que não estão metidos nessa formidável embrulhada de milhões de reais, surrupiados dos cofres públicos, na maior desfaçatez.


O quadro nacional é péssimo, em termos políticos. Não existe uma saída honrosa, todos se avacalham numa infernal corrupção, cada qual a seu modo de locupletando, com seus sequazes, testas de ferro, cúmplices que, na hora do desespero, da prisão, das quatro paredes, o sujeito endoida e sai dizendo o que quer e o que não quer e aí aparece nas manchetes como autores de delações premiadas.


O que essa gentes que tomou conta da política nacional tem feito com o Brasil é uma negócio sórdido. Permitir que essas empresas que se acumpliciaram com políticos e roubaram bilhões, sinceramente, por maiores que sejam essas empresas, não deveriam voltar a merecer confiança, construir para entidades governamentais. Qual interesse em se poupar tais aventureiros sem nenhum escrúpulo?


Fico imaginando a cara de pau desses dirigentes da Odebrecht envolvendo Lula, Dilma, Temer, Aécio e mais um monte de gente com uma desfaçatez que impressiona, envergonha, pela cara de pau, falta de escrúpulos, em se tornarem delatores, quando viviam aliciando autoridades diversas, comprando suas honras com recursos escusos, retirados dos cofres públicos.


Que sentimento de grandeza, lealdade, dignidade tem essa gente espremida pelo Juiz Federal Sérgio Moro? Nenhum, não valem nada, não merecem respeito, de se sentarem à mesa de gente respeitável. Essa corja de ladrões, aventureiros diversos, não é superiores à sociedade brasileira. O número de ladrões, devassos, realmente é insignificante, mas como roubam...


Imprimir | Enviar para um amigo