Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Prisões sem regras.

14/01/2017

 

NOTA– Você vai ler um comentário independente, sem enganos, sem mentiras. Se Você entender que não deva prosseguir com sua leitura, delete-o. Nunca suporte o que não gosta. Se não ler, vai perder a oportunidade de conhecer a verdade.

 

Durmo pouco. As vezes, perco o sono, pensando, como o país tem um sistema prisional tão indecente e como se mata, em média, uma pessoa por dia, nas prisões do país, onde existe um universo de 600 mil presos, todos amontoados em prisões imundas, sem qualquer separação entre tipos de criminosos, sendo que os movidos por questões passionais deveriam ter um tratamento melhor, do tipo que os assaltantes da “novela” Lava-Jato são tratados...


A fragilidade do Código de Processo Penal, as facilidades como se protelam decisões, dos criminosos ficarem perambulando pelas ruas e avenidas sem serem recolhidos, alguns até gozando de liberdade no exterior, nos dão certeza de uma coisa: é muito difícil o exercício de uma plena justiça no Brasil.


No ano passado ocorreram  367 mortes nas prisões brasileiras, motivadas por brigas de facções. O recente caso de Manaus, com a ocorrência de 60 mortes em rebelião, a maioria com os corpos sem cabeça, dificultando a identificação dos cadáveres, dá a exata dimensão da barbárie. A quem se deve creditar a ocorrência de tal tragédia? Não sei se está relacionada com quem  não constrói prisões com alojamentos decentes e suficientes para abrigar esse tipo de gente ou se aqueles que não souberam conduzir com propósitos eminentemente éticos, responsáveis, os serviços que lhe são afetos.


O sistema prisional brasileiro é esta tragédia que assistimos recentemente e com grandes possibilidades de repetição, tamanho o descaso com que são tratados os reclusos, exatamente pela falta de meios condizentes dos alojamentos, daí as constantes rebeliões.


A imprensa tem estranhado o  mutismo do presidente  Temer , em não ter feito nenhum pronunciamento a respeito da tragédia de Manaus, com seus 60 mortos, muitos decapitados, num ato de selvageria nunca antes imaginado.


Na verdade, não cabe ao presidente Temer dizer nada à nação. Não foi ele que deixou que o sistema prisional caminhasse de forma tão estúpida, não tendo necessidade de dizer nada, muito menos falar sobre o sentimento nacional, exatamente porque sabe qual é o pensamento da Sociedade acerca dos bandidos que podem ser mais presos do que soltos. A audácia com que bandidos tomam conta do país dá para que o presidente da República, como todos nós, faça apenas cara de espanto.


Deveria ser uma obrigação da nossa classe política passar o Brasil a limpo. Já não se sabe mais de onde vem tanta delinquência, onde isso tudo irá terminar.


De uma coisa estamos certos: a rebelião no presídio de Manaus, onde perderam a vida 60 detentos e perto de 160 estão foragidos, dá para sentir o medo da sociedade brasileira.



 

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo