Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Indecentes arbitrários

03/05/2018

Tudo é possível. Ou por bem, ou por mal, devemos guardar esperanças, que um dia, o povo se encha de vergonha, vá para as ruas ou para as urnas com o objetivo exclusivo de buscar um caminho novo para o Brasil.

 

Tenho sido meio insistente em afirmar que o Brasil, com a Justiça que tem (a começar pelo Supremo Tribunal), a generalizada classe política e a incapacidade de discernimento de 70% da sociedade, jamais irá para frente, a não ser que surja um líder capaz de obter uma espécie de aval da sociedade, para mudar o país.

 

Há uma espécie de um complô, dentro dos sistemas políticos e judiciários para liquidar com o processo Lava-Jato, sob a direção do magistrado federal Sérgio Moro. Existe um grande receio que esse formidável brasileiro se transforme numa espécie de salvador da nação. Tudo tem sido feito para diminuir a autoridade do magistrado, tirar-lhe autonomia sobre alguns processos, como agora, recente, sobre as delações de dirigentes da Odebrecht, como as demais envolvidas, uma das empresas mais sórdidas em operação no Brasil, capaz de tudo, para obter dinheiro, sobre sei lá, condições, para diminuir a pressão, ou até tirar Lula da prisão.

 

Quem vier amanhã, imposto pela força do povo ou das Forças Armadas, terá que desmontar o país, recriando-o. O Brasil não pode ter um dos mais perversos sistemas burocráticos do mundo; o Brasil não merece custear a existência de uma classe dirigente perversa que veio para o poder para pilhá-lo. O chamado Sistema Financeiro é uma indecência. Eu lamento profundamente, mas não dá para acreditar no que um presidente da República diz, um simples vereador, nenhum político. Todos estão imbuídos do desejo realmente ardente de resolver seus problemas, dos familiares. O declínio econômico que se abateu sobre o país, a partir de 2013 até a presente data, quando desapareceram perto de 14 milhões de empregos, um quarto do empresariado fechou seus estabelecimentos, é uma tragédia sem limites, inacreditável, mesmo...A perversidade do sistema bancário é intolerável.

 

O único mercado que está funcionando no Brasil, embora modestamente, é o de alimentos. O declínio em todas atividades econômicas, fora da agroindústria e do mercado de alimentos é um milagre, embora a insensibilidade governamental, com sua mania de espoliar o povo com a cobrança maldita de impostos os mais variados, taxas e emolumentos absurdos, como se não tivessem nenhuma responsabilidade com o desenvolvimento, com o bem-estar coletivo.

 

O problema é que essa gente de maus bofes está no poder e ela abomina a ideia de que a sociedade precisa ser educada, inteligente.

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo