Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



De Amocim ao Açaí.

02/10/2018

 

Não é do meu tempo, mas, lá no meu São Mateus, teve um prefeito, como diziam por lá, analfabetão, da “rede rasgada”, que não se importava com o que falava e muito menos o lugar e a hora.

 

 

Contam as más línguas mateenses que o senhor Amocim Leite (foi reeleito para quatro mandatos), era um homem realmente extrovertido e, em certo ponto, divertido. Eleito, no seu primeiro mandato, a banda de música, chamada Lira Mateense, no salão nobre da Prefeitura, que funcionava sobre a cadeia pública da cidade, ensaiou tocar o Hino Nacional e, o Amocin, diante da plateia que se posicionava em atitude solene, perfilada, passou o braço na cintura de sua mulher, dizendo: “Vamos milha filha, dançar este sambinha...”

 

Ficou famoso com suas saídas, compondo o anedotário que enriqueceu a verve mateense, que o reelegeu seguidamente por quatro mandatos, até que cassaram-no, definitivamente.

 

 

Temos presentemente o caso do Sr. Daniel da Açai. O homem pegou o apelido de uma banca que vende suco de açaí e foi alcançado pela Justiça Eleitoral por ter distribuído água de graça à   população, abastecida na sua fonte particular. Sem gastar um centavo dos cofres públicos o pobre homem saia distribuindo água pela cidade, uma vez que, com a influência do mar sobre as águas do rio Cricaré, o manancial onde era feita captação para o abastecimento da cidade, foi contaminado e, a caridade do prefeito vem lhe custando caro, devido a ação dos seus inimigos políticos, que querem comer seu fígado de qualquer maneira.

 

 

Ninguém se apiedou dos moradores de São Mateus que estavam curtindo uma diarréia daquelas mas, o senhor Açai, vendo que sua bondade poderia lhe render alguns votos, passou a distribuir água de sua bica.

 

 

Conheço o prefeito mateense pelo noticiário, apenas sei, através de mateenses, que sua eleição se deveu ao reconhecimento da população, que passou a beber água melhor do que a servida pela companhia que explora os serviços de distribuição.

 

 

Vejam que uns políticos nacionais quase quebram a Petrobras, roubam bancos oficiais, carregam malas e mais malas  com milhões e mais milhões e até concorrem a novas eleições. Tem alguns que levaram milhões para o exterior, compraram até banco, para depositar caminhões de dinheiro fruto de roubo e propina. No caso da minha terra, querem o fígado do prefeito Açai porque ele distribuía água.

 

 

Muita sacanagem...

 

 

 

FONTE: JORNAL A GAZETA 


Imprimir | Enviar para um amigo