Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Um registrado para a história

02/11/2018

 

 

 

Até que baixe a poeira ocasionada pela eleição de Jair Messias Bolsonaro para a presidência da República, um fato impressionante ocorrido na vida política nacional, de um candidato apoiado por um partido minúsculo, o PSL, sem nenhum dinheiro, montado exclusivamente numa rede social compartilhada por mais de 20 milhões de adeptos, ignorando completamente a utilização das grandes mídias nacionais, que não souberam tratar com a necessária cautela o candidato à mais alta função executiva nacional com o devido respeito, agredindo-o indevidamente, comparando-o, nos mais variados aspectos, com o presidente eleito dos Estados Unidos, Donaldo Trump, pela semelhança de ações.

 

Como apreciador do seu comportamento, da sua forma de agir, suas decisões de reformar a nação nos seus mais variados aspectos, vou encerrar meus comentários até que se defina a montagem do seu programa de governo e as personalidades que irão auxiliá-lo, para depois dizer o que penso do que pretendem fazer para tirar o país desse formidável atoleiro de irresponsabilidades.

 

 

Votei no senhor Jair Messias Bolsonaro com a convicção de que estava votando no melhor candidato em evidência na política nacional, sem rabo para a “macacada” ao seu redor ter condições de puxá-lo. Em momento algum apareceu alguém com uma tênue prova de qualquer ato que desabonasse sua conduta. Sua férrea determinação de extinguir o PT, PSDB e demais siglas que abriga a corrupção endêmicas nacional. Pois o senhor Jair Bolsonaro, juntamente com o magistrado Sérgio Moro, são os únicos artífices do formidável sepultamento do PT.  

 

Bolsonaro tem que se convencer de que ele não pode errar. Todo seu pessoal tem que ser escolhido a dedo, dentro dos princípios rígidos das Forças Armadas, se quiser ter sucesso na sua administração.

 

O mais surpreendente na história da eleição de Jair Bolsonaro é como a sociedade brasileira se levantou, malgrado o massacre da chamada mídia que promoveu uma dolorosa desmistificação do que a maioria do eleitorado nacional apelidou de Mito. Um ato covarde quase tirou-lhe a vida!

 

É muito cedo, sem conhecer as diretrizes do seu governo, avaliar-se como as coisas se desenrolarão na sua futura administração. Pode até ser que, por motivos diversos, alguns setores não gostarem dos seus métodos ou da sua forma de agir, mas uma coisas é certa, o Brasil, sua sociedade irão agradecer eternamente a Jair Bolsonaro pela corajosa determinação de exterminar as mais corruptas figuras da política nacional, que levaram o país a esse lamentável estagio de degradação moral, nos mais variados sentidos.

 

A história do país vai registrá-lo, um dia, como seu herói.

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo