Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Tragédia e burrice

02/02/2019

 

Tenho dito e respeito, desde que o sr. Eliezer Batista passou pelas superintendência e presidência da Vale, que se trata de um maldito empreendimento para exportar minério de ferro a preço vil e empobrecer a nação, muito embora o “chafão”, em defesa da empresa, afirmara que o minério de ferro era abundante na face da terra. Mas esquecia de dizer que ele, acaba...

Três anos atrás ocorreu o rompimento da barragem da Samarco-Vale, em Mariana, Minas Gerais, num processo que nunca chega ao fim e sem definição quando a empresa voltará a funcionar.

Agora, vem a notícia do rompimento da barragem do Feijão, na região de Brumadinho, com o número de mortos totalmente indefinido, devido a quantidade de desaparecidos, podendo chegar a mais de 300.

O grave problema do Brasil é a burrice, a incapacidade gerencial dos nossos dirigentes o que Lula fez, entregando o comando da Vale ao PT, através de fundos de pensão, um vereador do seu partido, dá no que estamos assistindo: uma grande merda...

Dezenas de lagoas servindo como depósito de rejeitos minerais estão na região do quadrilátero ferrífero de Minas Gerais. É preciso que se diga que 90% dos resíduos jogado fora são formados por argila (barro), e ainda em torno de 10% por areia e restos de minério, atirados em lagoas imensas, tidas como depósitos.

Nos quase 80 anos de exploração das jazidas de minério de ferro em Minas Gerais, nada se fez para atrair donos de olaria de Minas para trabalhar os vastos depósitos de argila, para transformá-los em lajotas, artefatos diversos de barro, como manilhas, calçamentos de tijolo queimado, etc. Perguntamos, então: “Por que a Vale não se preocupou na industrialização dos resíduos, incentivando, financiando, com a montanha de dinheiro que tem, pequenos empreendedores? Simplesmente ganância.

A Vale é uma empresa estatal, mascarada por fundos de pensão e o Itaú como sócio minoritário, mas é, uma espécie de golpe ensaiado por Fernando Henrique Cardoso. Privatizar de mentirinha...

A Vale, a Samarco, nenhuma mineradora, nada, vale uma vida humana. Esse pessoal, metido a dono do mundo, responsável direto pelas tragédias de Mariana e Brumadinho não avalia o sofrimento de uma família, de uma mãe, a perder um filho, um ente querido.

A irresponsabilidade e do governo de Minas Gerais, do Ibama, dos chamados órgãos ambientais nos casos dos desabamentos das barragens de Mariana e Brumadinho precisa ter um fim: na cadeia. Esse pessoal não podia andar solto. A incompetência dessa gente, solta, pode provocar novas tragédias.

A sociedade precisa de uma resposta.

A Vale até hoje não teve uma atitude decente, convincente, para jogar tanto pó preto na cara dos capixabas, pelo Porto de Tubarão.

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo