Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Gasto inútil.

05/02/2019

 

Discute-se, cada vez com mais entusiasmo, que tipo de proteção deve ser colocada nas muretas da Terceira Ponte, sobre a baia de Vitória, para impedir que pessoas busquem aquele local, para seus espetáculos de suicídio.

 

Em princípio, as pessoas quando querem dar um fim à vida, através do suicídio, se efetivamente desejam levar à frente tal façanha corajosa, nada as impede. Aquelas pessoas que trepam na mureta, ameaçam se jogar, mas estão doidas para serem “salvas” pelos trouxas expectantes, enquanto outros, mais atrevidos, gritam: “Pula. Pula! FDP, pula! ”, porque realmente é chata, aquela indecisão, com o pessoal querendo passar e a polícia não permitindo que o tráfego siga seu curso. Deixem pra lá! Se tiver coragem, que pule.

 

Tenho lido e assistido informações as mais diversas, sobre propostas para dissuadir pseudos suicidas da Terceira Ponte mas, sobressalta-me o preço de tais projetos. Quem vai pagar a conta para salvar alguns “gatos pingados” que querem se suicidar, com a assistência de milhares de pessoas que por ali passam?
 

Outro dia, em torno de 13 horas, saindo da Ilha do Boi, o sinal fechou. Uma jovem que se postava à margem direita, veio para o meio da rua, com a maior simplicidade, retirou a blusa, ficando com os seios à mostra. Incontinente, tirou a bermuda que vestia e ficou pelada, com os motoristas e passageiros dos veículos ali, parados, assistindo o espetáculo de nudez repentina. A jovem parecia maluca, mas fez aquilo com uma impressionante naturalidade. Sacudiu a bermuda e a blusa, como se tivesse tirando a poeira, vestiu-as com a mesma simplicidade, sem pressa, saiu-se rebolando e foi-se embora, fazendo o trânsito refluir novamente! Essas coisas são surpreendentes, realmente, do mesmo jeito que aqueles que buscam o suicídio, mas as vezes se arrependem, com medo da água estar fria...
 

Se a Terceira Ponte vier a receber um empreendimento, como um monotrilho, de grande importância para a mobilidade urbana, com sua cerca de proteção, tudo certo mas, gastar uma fortuna para impedir suicídios, sou contra, porque quem quer realmente tirar a própria vida, não precisa de subterfúgios, praticar presepadas. Se joga de qualquer maneira, sem precisar de assistência.
 

Acho que o suicídio é um ato de extrema coragem ou até mesmo de loucura. As pessoas que buscam tais métodos para deixar de viver, devem merecer respeito. É difícil avaliar o que se passa na cabeça de uma pessoa. Nossos semelhantes são muito difíceis de serem entendidos.    

 

 

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo