Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Paraíso de assaltantes

04/10/2019

 

 

 

Numa média de 7 por dia, por ano são arrombadas 25.550 lojas na grande Vitória, conforme dados fornecidos pela Federação do Comércio de Bens, Serviço e Turismo do Estado do Espírito Santo – Fecomércio – ES.

 

O que impressiona, não são apenas os números, a grandeza dos assaltos, mas a impraticabilidade de toda uma sociedade viver tranquila, na sua capacidade produtiva, para ganhar a vida.

 

Qualquer cidade do mundo, na mais distante Biáfra africana, a mola que move o mundo é o dinheiro e quem faz ele girar, fazendo circular a riqueza, é o comércio. Não existe empreendedorismo sem a atividade comercial e, é através dela que os governos promovem a arrecadação de impostos.

 

O problema brasileiro é grave, em virtude da incapacidade gerencial dos nossos governantes, muitos contando como principal aliado a arte de furtar, de distribuir empregos públicos, como se resguardando para se reeleger ou voltar proximamente como “bonzinho”.

 

Foi a partir de 1880, com o fim da escravidão, a liberdade dos escravos, através da Lei Aurea, que, desprotegidos pela sociedade, sem um amparo social, os negros se refugiaram nas favelas, que começaram a surgir na época, onde continuaram prestando seus serviços, como uma espécie de esforço pela sobrevivência.

 

De lá para cá, até esta data em que estamos, as transformações sociais, a violência urbana promovem a explosão do favelamento e o Brasil, depois do México, países africanos por excelência, ostentam os maiores centros de violência do mundo. A Grande Vitória é, reconhecidamente, um dos maiores centros de violência do mundo, pelo volume de mortes por cada 100 mil habitantes.

 

Essa tragédia urbana em que vivem cidades brasileiras não é coisas recente, vem de 1880, existem documentos comprobatórios (eu os tenho), mas os governantes não desejam se concentrar numa solução, exatamente por que imaginam que a alteração do chamado estado atual, perturbar a marginalidade com qualquer ação, com o saneamento básico de suas moradias, pode render-lhes repercussão negativa, perda de votos, e a vida continua nesta merda que aí está...

 

O Brasil precisa mudar mas, para tanto, precisa que todo seu conjunto populacional fosse educado, para seguir as regras civilizatórias.

 

Enquanto não se faz nada em favor de quem paga impostos e assiste seus estabelecimentos comerciais serem assaltados, a violência se expande, não haverá solução à vista.

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo