Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Os parasitas II

12/02/2020

 

O Brasil, não avança, não cresce, não alcança o desenvolvimento que merece, que precisa, por vários motivos, sendo que os principais são: a impressionante corrupção de sua classe política; possuir 60% ou mais, do número de funcionários públicos (em todos níveis), inteiramente desnecessários; a forma aberrante como se criam impostos e obrigações parafiscais; a classe política e a justiça, com seus despreparos.

Em recente declaração, o ministro Paulo Guedes, da Economia, falou comparando os servidores públicos a parasitas e o Estado a hospedeiro. O problema é que, quando falamos ou escrevemos, inadvertidamente, gostamos de, aleatoriamente, juntarmos todo mundo num só saco e malhar impiedosamente, quando na verdade a grande camada de servidores públicos merece respeito, pela sua probidade, como não se pode generalizar que a Universidade Pública Brasileira é uma merda, como se toda ela fosse composta de professores, alunos e servidores da pior qualidade. Infelizmente as coisas no Brasil são feitas sem muita seriedade, daí porque existem 60% de funcionários públicos a mais do que o necessário e o ensino público é uma verdadeira merda.

O funcionalismo público, principalmente os da Justiça e do Legislativo, ganham imensos privilégios, uma aberração, em detrimento da sociedade que paga impostos.

Essa coisa torta vem de muitos e muitos anos porque, exatamente pela irresponsabilidade da classe política, a dominante, que promove as concessões do empreguismo como se os recursos públicos arrecadados em forma de impostos caíssem dos céus com as chuvas torrenciais.

Nada dura para sempre, dizia minha mãe quando via coisas ruins acontecerem mas, o interessante é que não será com a eleição de um único Jair Messias Bolsonaro que iremos endireitar o Brasil.

No meu entender, só com uma brutal revolução, pouco nos incomodando quantos irão morrer. Ai, a coisa vai!

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo