Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Adesões curiosas.

01/03/2020

 

É verdade, o presidente Jair Messias Bolsonaro fala muito, mais do que deve mas, interessante, tem quem gosta dos seus arroubos esquisitos, até de sua “banana” pública, para perguntadores inconvenientes mas, a grande e grave preocupação das esquerdas nacionais são com relação à penetração do presidente nas áreas do Norte e Nordeste, como os recentes acenos ao governo por parte dos governadores Ruy Costa, do PT baiano e Flávio Dino, do PCdoB do Maranhão, podendo atrapalhar a estratégia da oposição nas próximas eleições.

 

Quem guia o político é o povo. Norte e Nordeste, principalmente, conhece séculos de procedimentos indecentes por parte de um coronelismo aproveitador, que sempre desejou ver a região na miséria para poder “vender” suas influências. Quando mais atrasado for o povo, mas suscetível ao engano, ao aproveitamento. Vem isso através dos tempos. A região tem progredido graças à impetuosidade da livre iniciativa. O Maranhão, por exemplo é uma tragédia, sob o império da família Sarney que, faz pouco, foi desbancada pelo comunista Flávio Dino, que agora se embandeira todo para os lados do presidente Jair Messias Bolsonaro. Pode  entender que hoje, no Palácio do Planalto, tem uma turma inteligente que quer, a todo custo, tirar o pais da miséria, do subdesenvolvimento, da política de ladrões, de aproveitadores da pior espécie.

 

Examinando o caso do Piauí, uma das regiões mais sofridas do território brasileiro, sem nenhuma cultura agropecuária , hoje desponta no país com grandes produções de cereais. Como, numa região de clima inclemente, tórrido, se prestou para tantos tipos de cultivos, de uma impressionante fronteira agrícola, atraindo até empreendedores rurais do Espírito Santo, do Sul do país. É uma maravilha.

 

Os chamados interesses políticos são os piores da cultura de um povo. Político nenhum, com raras exceções, merece confiança, respeito, pelo que dizem. Ordinariamente, não merecem confiança, credibilidade pelo que dizem, pelo que prometem.

 

Naturalmente que, dentro do novo conceito brasileiro de política, de mandar para o “pau de araras” os ladrões, o  Brasil depois do Lava Jato e da eleição de Jair Messias Bolsonaro está mudando e vai mudar muito mais.

 

Botemos de lado o esperneio dos oposicionistas de ocasião, dos chamados socialistas que nem sabem o que seja socialismos, vamos mudar os congressistas mais improdutivos e imorais da face da terra. Vamos mudar o Brasil. Vamos desenvolver Norte e Nordeste, para que sejam regiões prósperas como o resto do país, dando-lhes as obras essenciais, canais para irrigar suas terras. Bolsonaro está chegando lá.

 

Em matéria de política e de políticos, é bom acreditar, desconfiando... Eles são capazes de tudo. Vejam o Congresso Nacional neste exato momento. Faz vergonha.

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo