Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



A falência da mídia I

05/03/2020

 

Dá a impressão que é por absoluta falta de conhecimento do processo de circulação de periódicos (jornais e revistas) no Brasil, tamanha preocupação que formuladores da imagem do presidente Jair Messias Bolsonaro têm, sobre o que sai na imprensa escrita.

Em princípio, o brasileiro, em termos gerais, não gosta de ler e, quando lê, uma parcela está mais preocupada com o noticiário de futebol e crimes do que outra coisa.

Há uma tremenda defasagem entre a circulação dos jornais no Brasil, na década de 80, com relação a 2020, quando os jornais passaram a ser aniquilados, em suas tiragens, pela explosão das redes sociais, haja vista que elas, as redes, elegeram Ronald Trump, nos Estados Unidos e Jair Messias Bolsonaro no Brasil, mesmo com toda pressão da mídia escrita e televisada.

A chamada mídia televisada tem pouca importância porque o chamado telespectador não guarda muito o chamado noticiário tendencioso ou distorcido, a fórmula com que busca atingir certas personalidades e está preservando a de refinados ladrões dos cofres públicos.

Globo, Jornal do Brasil, Folha de São Paulo estão em estágio final de liquidação, o que é muito ruim para um país, sua sociedade mas, em princípio, a chamada imprensa escrita se aliou a grupos políticos, a chamados movimentos de esquerda, sem imaginar que vivemos numa democracia e, pressupõe, que democracia diz respeito a liberdade. Essa gente anda puta da vida com a vitória de Jair Messias Bolsonaro mas, imagina, que o povo brasileiro quer ver o país transformado numa Venezuela, Cuba, numa Bolívia qualquer...

Não existe grupo econômico no país com suficiente poder aquisitivo para suportar a circulação de um jornal com independência de verdade, para falar o que for direito, correto, como noticiário a favor ou contra o governo. Tratar Lula, Dilma, Temer, Sarney, Fernando Henrique como bons moços, cidadãos que merecessem respeito, fossem amantes da liberdade, é coisa muito difícil. O povo, através das redes sociais, sabe quem é essa gente. O problema do presidente Jair Messias Bolsonaro e seu grupo é que eles vieram para o poder para consertar o Brasil. Não estão permitindo que roubem e, olhem lá, não estão com medo de enfrentar cara feia, grupos de baderneiros. Políticos de quinta categoria.

O problema da imprensa nacional é muito complicado: falta de leitores em número suficiente para formar um negócio seríssimo: OPINIÃO PÚBLICA.

Quem está lendo jornais? Revistas? É de dar pena, mas é verdade.

A opinião pública está formada por uma fabulosa rede social, onde sai muita besteira e coisa séria também. O pior é que estão acreditando nela.

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo