Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Bolsonaro sabe o que faz.

12/04/2021

 

Resta muito pouco, quase nada, da velha chamada “grande imprensa nacional”, carcomida pelo desgaste moral de velado a escancarado apoio a governantes corruptos, como os que passaram pelo, país após 1985, quando deixou o poder o general João Batista Figueiredo, prevendo tudo que acontece após a ocupação de José Sarney no poder e, ao meio dos trompaços , chegamos a Lula e Dilma, com uma chusma de ladrões, atrás,  o juiz federal Sérgio Moro, seus colegas procuradores e a Polícia Federal, no encalço dessa gentalha ordinária.

 

Todas as chamadas “vozes maiores” da política nacional, e a velha imprensa na manivela do realejo, repetindo mentirosas pesquisas de opinião pública, dizendo que o candidato Jair Messias Bolsonaro não ganharia a eleição nem que fosse candidato contra ele próprio, sozinho...

 

Uma facada em pleno comício em Juiz de Fora, Minas Gerais, pouco antes do pleito, quase tirou a vida do candidato. Com todas mentiras, rios de dinheiro gasto contra sua eleição, surgidos não se sabe onde, tudo foi em vão para dissuadir a maioria do povo para eleger Jair Messias Bolsonaro.

 

O último episódio político, considerado “grave” do governo Bolsonaro foi a troca de comando das Forças Armadas, quando Bolsonaro nomeou o general Walter Braga Netto para substituir o general Fernando Azevedo. Certo ou errado, trata-se de uma decisão de quem foi eleito presidente da República e, no texto constitucional diz que o Presidente da República é o Comandante em Chefe da Defesa Nacional. O mais importante cargo da nação é de Presidente da República, para isso foi eleito.

 

A chamada crise teve um desfecho maior quando foram trocados, também, os ministros do Exército, Marinha e Aeronáutica. A velha imprensa, porta voz dos políticos em liquidação, diz que foi aberta uma crise nas Forças Armadas, a maior desde 1977, quando o então presidente Ernesto Geisel demitiu o Ministro do Exército, general Sylvio Frota.

 

O que há no Brasil, no presente momento é um negócio que os ex-altos dirigentes políticos, as imprensas velhas e carcomidas sabem, mas não podem dizer, que Jair Messias Bolsonaro é presidente da República e goza de uma simpatia popular tão grande que têm um pavor de mexer com ele e, como se trata de um homem impetuoso, vai marchar contra quem tentar derrubá-lo, o que será uma tragédia sem precedente. Tudo tem um fim, até o Universo. Um dia, sem aviso prévio ele explodirá com tudo que tem dentro e nos mandará para o espaço infinito, aos pedaços, pouco se importando com essa humanidade composta de traidores e ladrões.

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo