Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Pensando claro.

06/05/2021

 

Numa dessas conversas demoradas que tinha com meu pai, quando absorvia seus ensinamentos, ele dizia: “Ao escrever, busque ser direto, não faça rodeios, seja sincero, como estivesse escrevendo para si próprio, como se fosse uma satisfação íntima”.

 

Confesso, tenho pago um grande tributo pela minha sinceridade. Fui amigo de Eloy Borgo, um excelente professor de odontologia, um dos criadores do sistema de implantes dentários. Perdíamos horas conversando.

 

Um sábado, encontrei o Eloy, pela manhã, na Praça Oito de Setembro, que era o ponto central dos encontros da capital, onde se situava o café do “Almeidinha”. Num repente, o Eloy disse que precisava falar comigo, tomar uma decisão importante. Fui ao seu consultório, no Edifício Rural Bank, onde relatou sua dúvida e pediu minha opinião sobre o que deveria fazer. “Eloy, eu tomaria esta decisão”, e disse a ele o que faria.

 

Espantado, indagou: “Não seria melhor você pensar um pouco? ” Disse-lhe que eu jamais faria o que ele estava pensando e passou o resto de sua vida me agradecendo o conselho, até à hora que estava morrendo, quando me chamou.

 

Fui criado num sistema muito duro. Acima de tudo, a Pátria, a Família, os amigos”, dizia meu pai, daí a constante defesa que faço do meu país, de sua bandeira, seu hino, da família. O Brasileiro desconhece a maravilha de país que habita, como desconhece a classe política ordinária que somos forçados a eleger e até reeleger, por falta de opções.

 

Quando assisto autoridades do judiciário soltando multidões de ladrões, tipo Lula, que desgraçaram o país, fico a imaginar se essa gente vil, corrupta, imoral, o que ela pensa sobre a grandeza nacional, quando pratica os mais imorais, aumentam seus próprios vencimentos, estabelecem impostos imorais, 71 obrigações fiscais e parafiscais, como se donos do país fossem. Nós, brasileiros, pagamos três vezes mais impostos do que cidadãos de qualquer país do mundo, para sustentar uma casta de malditos e ineficientes servidores públicos. Vejam que, Lula e seus sequazes, companheiros de assalto a cofre públicos, roubaram mais de dois trilhões de reais, muito mais. No dizer do ministro Gilmar Mendes, que considero um dos piores da nossa mais alta Corte de Justiça, que o PT tem dinheiro roubado dá para sustentar campanhas políticas até 2050 (por 30 anos).

 

Tenho buscado ser tolerante com o que escrevo, mas, se digo tolice me perdoem. Por que não fuzilar essa gente maldita? Por que assistindo toda essa tragédia, as Forças Armadas não se enchem de razão e promovem uma reforma estrutural da nação?

 

Não sei avaliar como tudo isso acabaria nas minhas mãos. Se um dia tivesse o poder de decidir os destinos nacionais, precisar de um ano, apenas, para agir de forma excepcional.

 

 

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo