Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Bolsonaro sem medo

27/07/2018

 A imprensa nacional tem pavor a Bolsonaro, a começar pela Globo, passando para os partidos políticos que, agrupados em torno do nome de Geraldo Alckmin, pretendem formar uma barreira de rejeição ao líder nas pesquisas que, até o momento, conta com 7 segundos de tempo na TV, fruto exclusivo de sua sigla PSL, o que, tudo indicar, marchará solo, em direção ao Planalto, se houver eleições.

 

A impressão que se tem é a de que o candidato Jair Bolsonaro irá buscar eleger uma grande bancada de deputados federais, inteiramente divorciada dessa turma que hoje está atolada até as orelhas no processo Lava Jato.

 

Se eleito for, na história da política nacional Bolsonaro irá realizar um fato inédito : se eleger sem qualquer apoio da mídia e de partidos políticos, a não ser o seu, uma espécie de semelhança ao que aconteceu nos Estados Unidos, com a eleição de Donald Trump, que marginalizou a imprensa o quanto pode, até depois de eleito, provocando um desmoronamento empresarial em todos segmentos da impressa americana, daí o “cacete” que vem tomando, como uma espécie de vingança, enquanto vem colhendo o apoio popular, principalmente quando reduziu os impostos em 35% em diversos setores, provocando uma onda de investimentos em todas regiões americanas.

 

Acaba de ser lançado o programa do candidato Jair Bolsonaro, com 17 pontos que são, na realidade, uma loucura, se realmente forem executados, como promete. A revisão dos Estatutos do Desarmamento, a redução de 40 ministérios para 15, a redução da menor idade para 16 anos, a criação do programa Minha Primeira Empresa e a criação do imposto único, tudo isso realmente empolga o eleitor acostumado com o procedimento vergonhoso da nossa política.

 

Acho que o Brasil está sujeito, nos próximos meses, a uma grande tragédia, onde o povo terá uma forte participação. É melhor o político profissional, o chamado de perpétuo, ir se aposentando, mudando de idéias, que há um espírito de mudança no caminho que vai mexer com as coisas.

 

Pode até imaginarem que se trata de ilusão, de bobagem, mas o Brasil, grande parcela da sociedade brasileira, vai tomar um choque.

 

Do jeito que caminham as coisas, só um terremoto poderá impedir a eleição de Bolsonaro. Recentemente, tivemos uma posição diferente em nosso estado, a retirada ou o não do lançamento da candidatura à reeleição do governador Paulo Hantung. Melhor dizendo, o governador, cara inteligente, sabe que pode dar um nome novo, fora da política, para governar o Estado, tipo indução Bolsonaro. É possível!


Imprimir | Enviar para um amigo

Aprendizes ou sabidos?

26/07/2018

Na década de 60, quando se instalava em Tubarão, o grande porto de exportação de minério construído pela Companhia Vale do Rio Doce, sob o comando do falecido Eliezer Batista, o argumento de que a obra não iria poluir com pó de minério a região da Grande Vitória era de que os ventos predominantes na região eram em direção ao vale do rio Santa Maria. Como os governantes da época não entendiam nada de “ventos predominantes”, foram enrolados pelo dirigente da Vale e, em seguida, vieram os produtores de pellets, para melhorar a qualidade do minério exportado e, na década de 70, vinha a Usina Siderúrgica de Tubarão, formada por grupos de italianos, japoneses e brasileiros, através da Usiminas e BNDES.

 

Foi a maior burrada que se cometeu contra a Grande Vitória. Os ventos predominantes (9 meses por ano) sobre a Grande Vitória são do Nordeste, direcionados exatamente sobre a Grande Vitória.

 

Agora, precisou vir de São Paulo técnicos da Ceterb (Companhia Ambiental Paulista) que apresentou um trabalho sobre a poluição na nossa região metropolitana e a companhia Arcelor-Mittal promete investir 540 milhões, em 5 anos, para tornar nosso ar respirável.

 

O governador do Estado, Paulo Hartung, é o mais novo cristão: passou a acreditar em espiritismo! Acha que o espírito de porco de Eliezer Batista baixou e anunciou a boa nova, da aplicação de 540 milhões de reais para despoluir a burrice que já completou 68 anos, com a implantação do Porto de Tubarão.

 

Pela montanha de recursos que essa gente já falou que iria aplicar para conter o pó preto que tanto reclamamos, e até o notável artista plástico capixaba Kleber Galvêas já produziu quadro com a sua utilização, dava para transferir todo complexo da Serra para outro lugar do Planeta Terra.

 

Primeiro, se essa gente poluidora quisesse realmente resolver alguma coisa, planejaria a transferência do complexo industrial de Tubarão para a foz do rio Doce, em Regência, Linhares, onde tem água abundante, espaço ilimitado para poluir e promoveria a construção de um empreendimento decente voltado para a exportação, principalmente, sendo fim à poluição que provoca.

 

Pelo que se sabe de história, tem pouco mais de dois mil anos que o povo africano é explorado. Como não tinham mais nada que explorar, os sabidos se voltaram contra a chamada América Latina. Tem um bando de ONGs burras, até estrangeiras, que defendem interesse escusos, de grandes potências, para que o Brasil não cresça. Tem autoridades mais burras ainda que se deixam contaminar e passam até em acreditar em espiritismo, mula sem cabeça, céu, inferno, Saci Pererê, alma do outro mundo, etc...

 

Nosso problema crônico é a incompetência.

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2004 2003 2002 2001 2000 1999 1998 1997 1996 1995   Anteriores »