Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Marginalidade impune I

30/01/2018

NOTA – Você vai ler um comentário independente, sem enganos, sem mentiras. Se Você entender que não deva prosseguir com sua leitura, delete-o. Nunca suporte o que não gosta. Se não ler, vai perder a oportunidade de conhecer a verdade.

 

Quem tem a cabeça no lugar, pensa no país, no desenvolvimento nacional, na família, quer uma nova ordem para o Brasil. A impressão que temos, como sociedade, é que todos estão loucos! Não se pode ir às compras, a um banco retirar ou guardar dinheiro, a uma simples praia, para se divertir com os amigos, tomar um banho de mar ou mesmo tomar uma condução, que pode ser vítima de um assalto, de uma bala perdida, de um sequestro, tornando a vida um negócio desagradável.

Agindo com a necessária prudência, determinação, num ato de proteção à coletividade, o Ministério Público Estadual solicitou o cancelamento de um tal de Orla Folia, na praia de Itaparica, em Vila Velha, onde ocorreu um tremendo tumulto, com ferimento em pessoas mas, a prefeitura de Vila Velha não cumpriu a ordem do Ministério Público para cancelar o que se transformou em tragédia.  

A Secretária de Cultura, Esporte e Lazer de Vila Velha diz que a ordem do Ministério Público Estadual chegou com atraso, a tal Orla Folia, com suas tragédias já tinha ocorrido.

Esses ajuntamentos não são civilizados. É preciso uma nova ordem nacional, onde alguém seja responsabilizado com severidade diante do não cumprimento da ordem de uma autoridade, responsável pela proteção à família, aos bons costumes.

A praia deixou de ser um local de lazer, de boa convivência para se transformar num antro de marginais, de bagunça, diante da fragilidade do sistema policial que não pode estar em todo canto. Há uma falência moral de uma ponderável parcela da população, por falta de educação, de punição exemplar, pelo desrespeito aos direitos individuais.

Não sei como pode ocorrer uma mudança no sistema de segurança pública, para punir aqueles que impedem o direito de ir e vir. As determinações do Ministério Público precisam ser cumpridas, respeitadas à risca.

A fragilidade do aparelho policial, comprometido com um processo de greve totalmente irregular, ferindo os princípios constitucionais; as irregularidades administrativas sob o patrocínio de governantes irresponsáveis, tudo isso impõe a mudança da ordem pública. O Brasil não pode caminhar para esse estado de deterioração moral diante da fragilidade das leis que não punem adequadamente.

As coisas no país não andam em sentido reto, uniforme, como seria preciso. A insegurança geral em que vivemos, mete medo e podemos nos transformar em futuro próximo em um país que ninguém quer visitar, investir, pela ação da marginalidade. 


 

FONTE: JORNAL A GAZETA

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo

Imoralidade à vista

29/01/2018

NOTA– Você vai ler um comentário independente, sem enganos, sem mentiras. Se Você entender que não deva prosseguir com sua leitura, delete-o. Nunca suporte o que não gosta. Se não ler, vai perder a oportunidade de conhecer a verdade.

 

Não sei responder às indagações que me fazem, do que eu acho das prefeituras de Cariacica e Serra abrirem mais de 600 vagas com salários superiores a R$ 2.475,00.

Sei que as municipalidades brasileiras possuem mais de 60% do seu funcionalismo inteiramente inútil, gastando um dinheiro que o município não tem para gastar e, como resposta ao aumento dos custos com pessoal, aumenta os tributos, criam “serviços” com objetivos de arrecadar mais ou multam de forma impiedosa, como o caso das calçadas cidadãs, uma obrigação municipal, mas que o esbulho autoritário joga nas costas do munícipe e, como ele não tem para quem apelar, os conselhos de recursos fiscais são uma tragédia, só o município que tem direito, o jeito as vezes é até perder o gosto de viver.

A criação de cargos públicos, ao meio da tragédia nacional, onde não existem recursos públicos para pagar a conta, o negócio é todo mundo se acomodar ao meio dessa pouca vergonha, com as obras que não acabam nunca e cada vez entre mais gente para ser atulhada em repartições onde os “servidores” têm até horário de ficar encostado, de 12 às 17 horas, infalivelmente...

Deve ser uma desgraceira, nos 5.740 municípios que existem no país, cada qual tocado por um analfabeto e meio, que está mais para assaltar os cofres públicos do que mesmo promover o desenvolvimento.

As vezes fico imaginando, como seria bom que os administradores públicos fossem inteligentes, decentemente instruídos para não cometerem tanta asnice, em nome de uma maldita votação que elegeu um analfabeto.

 

Como ainda não estabeleceram uma regra ditatorial que estamos impedidos de raciocinar, fico a imaginar como tem gente, pelo menos que se diz alfabetizada, querendo a volta de Lula ao poder. Será que essa gente está doida? Falando sério? Está com gozação?

Como se pode desejar a volta de um puta analfabeto de pai e mãe, um fenômeno inútil, para ser novamente presidente da República?

Temos aí um caso generalizado de amnésia, de microcefalia. Não pode haver seriedade por parte dessa gente. Será que a corrupção foi tão contagiante assim?

Não sou e tenho certeza que jamais serei porta voz, de seja lá quem for, muito menos das Forças Armadas. Mas, se elas, as Forças Armadas, permitirem que a bagunça, a imoralidade reine no país e eles não intercederem para nos livrar desses monstros inescrupulosos, estamos realmente fodidos...


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   1915 1914 1913 1912 1911 1910 1909 1908 1907 1906   Anteriores »