Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



O Parque Tecnológico

27/07/2019

 

A construção do desenvolvimento deve se constituir numa mania e não numa teimosia. Não sei de onde brotou, de qual genialidade, uma “fábrica de idéias”, ostentada por um formidável letreiro numa velha fábrica de sacaria de juta no bairro de Jucutuquara, na confluência das avenidas Vitória com Paulino Muller. A prefeitura de Vitória adquiriu o imóvel, sapecou ali o letreiro ilusionista e, ponto final.


Agora, a mesma Prefeitura de Vitória teima num “pioneirismo” absurdo, ao propor a criação de um Parque Tecnológico (já apelidado de Parque da Discórdia) em terrenos que não são da municipalidade, mas de terceiros, que ela, prefeitura, deveria desapropriar, pagando de forma responsável pelo valor de mercado a seus proprietários, inclusive à União, proprietária de um bom pedaço (134 mil m²) que a municipalidade pediu sua doação, para construção de laboratórios compartilhados com a Ufes e Ifes, um negócio sem pé nem cabeça, por se saber claramente que, apesar de ser um sonho impossível do prefeito, que já começou a construir na área um tal de Centro de Inovação, com obras em andamento, que deve ser entregue ao “uso” no primeiro semestre do próximo ano.


Quero até crer que sonhar com o dinheiro público é fácil. O negócio é fazer tornar realidade as coisas com o nosso dinheiro, enfrentar 70 obrigações fiscais e parafiscais, 418 empresas estatais, sendo que apenas uma, a Petrobrás, foi esfolada nos seus recursos por uma corja de ladrões da pior qualidade.


Nada como a livre iniciativa. Títulos pomposos, como Fábrica de Idéias, Cais das Artes, Saldanha da Gama, casarão da Chácara dos Von Schilgen, Mercado da Vila Rubim, casarão do Alto da Santa Clara, onde foi moradia do Governo do Estado no século 18, abandonado à própria sorte, a história do ginásio Cleber Andrade, o Cais do Hidroavião, o São Vicente de Paula, a triste novela da av. Leitão da Silva e outros cânceres oficiais que ninguém extirpa por falta de aptidão ou coragem para o trabalho. Vejam a sujeira dos quiosques abandonados na orla de Camburi. 


Sinceramente, tenho dificuldades de entender a democracia brasileira. Somos um sistema democrático, federativo ou somos o que? Socialismo de fazer de conta!


Em qualquer país do mundo, onde existe um sistema de governo decentemente montado, quem manda é o Congresso Nacional e, consequentemente, as câmaras municipais, as assembléias legislativas. Não sei por que, transferem seus poderes para uma tal de Associação de Moradores ou, na pior das hipóteses, para a ONU, onde dois sujeitos decidiram mandar soltar Lula, preso em virtude da apuração de processos por corrupção, roubo.


A Câmara Municipal de Vitória teve a responsabilidade de aprovar o PDU do município. O prefeito vetou uma parte, o Tribunal de Justiça suspendeu a execução do artigo vetado. Falta o que? Recorrer ao bispo?

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo

Ameaças a Bolsonaro.

26/07/2019

 

Já deu perfeitamente para entender que estamos diante de um presidente da República não muito diferente ao então presidente João Batista Figueiredo, pronto para responder, no ato, com impropérios até, interlocutores que querem imitá-lo.

 

Impetuoso, o presidente Jair Bolsonaro está sendo admoestado por sistemas de segurança governamentais que corre risco de morte, com as ameaças que está recebendo e, tanto é verdade que Adélio Bispo de Oliveira, um perigoso meliante que se passa por doente das faculdades metais, deferiu-lhe uma facada na barriga, no dia 6 de setembro, ao meio de uma multidão, em Juiz de Fora, Minas Gerais, quando era carregado as costas, por adeptos de sua candidatura.

 

Vejam, em dezembro de 2018 a Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou a conta da corrupção no Brasil. Segundo seus levantamentos, o Brasil perdeu cerca de R$ 200 bilhões por ano com os assaltos cometidos pelos chamados agentes públicos (políticos, servidores, empreiteiros, etc.)

 

Quem votou em Jair Messias Bolsonaro o fez com objetivo de banir essa gente ladrona do poder. Não se imagina quantos Adélio andam por aí, prontos para matar o presidente que, teimosamente, mais do que dez mulas velhas juntas, em andar no meio da multidão, fazer o carro que o conduz parar em locais perigosos, de ajuntamento, ir assistir jogos de futebol, onde um meliante pode estar pronto para o bote.

 

Quem imaginar que Jair Messias Bolsonaro não é ídolo de uma multidão de brasileiros, engana-se redondamente. As autoridades de segurança devem exercer todo seu poder para guarnece-lo de ataques. Sua morte poderá levar o Brasil a uma convulsão sem precedente em toda nossa história.

 

Podem dizer que o presidente é afoito, teimoso, inconsequente, diz o que quer e o que não quer sem pensar, mas é este homem que o povo brasileiro elegeu, para consertar o Brasil. Há uma campanha montada, com muito dinheiro por trás, para infernizar a vida do presidente da República, com objetivo claro de modificar o pensamento da opinião pública a seu respeito. Não está surgindo efeito desejado, mas é preciso ter cuidado, porque ninguém está livre de um ataque desses tipos Adélio.

 

O governo de Jair Messias Bolsonaro está mexendo com tantos interesses, mas tão grandes que, temos que duvidar de tudo. Tomara que não cometam nenhuma loucura contra o presidente. Precisamos ardentemente de um homem destemido para consertar o Brasil, um sujeito que não roube e nem permita que roubem. Jair Messias Bolsonaro é uma grande ameaça a esse tipo de gente que é capaz de tudo, para fazer o Brasil voltar ao seu passado negro, recente, onde quase colocaram o país a perder.

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2187 2186 2185 2184 2183 2182 2181 2180 2179 2178   Anteriores »