Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Estranhas convicções.

13/07/2018

 

A liberdade é um negócio muito sério. Muitas pessoas ignoram a importância da liberdade e, talvez devido suas momentâneas posições sociais, para se manterem, “apoiam”, de forma sub-reptícia, autoritarismo de esquerda, não entendendo que só uma guinada brusca para a direita pode extinguir a opressão, o delírio dos ditadores. Tudo passa...

 

Fui surpreendido outro dia com a leitura da opinião (sem muita novidade para mim) do presidente da OAB-ES, Homero Mafra, e outros menos nocivos, condenando a “parede” de protesto dos caminhoneiros, e os apelos surdos à intervenção militar, como salvação do Brasil das garras de uma malta de corruptos que tomou conta do poder.

 
O presidente da OAB capixaba verberou contra o apelo à intervenção militar, mas, com que  a autoridade o faz? O sr. Mafra é um dos incríveis adoradores do regime comunista implantado por Fidel Castro em Cuba, e com inúmeras viagens ao regime mais estúpido da face da terra.

 

Já contratei o presidente da OAB capixaba como advogado, certa feita, sem nenhum arrependimento pelo gasto, mas deploro o que ele pensa do movimento dos caminhoneiros.

 

Fevereiro do ano passado a Polícia Militar do Espírito Santo, sob as ordens de um bando de mulheres de militares, trancaram os portões dos quartéis, impedindo que seus  esposos, militares, fossem as ruas defender a população que lhes paga os salários, quando foram mortas 219 pessoas e provocou-se a destruição de perto de 300 estabelecimentos comerciais em todo o Estado, pela ação de vândalos que nunca foram molestados e o Estado  jamais procurou ajudar os prejudicados, sendo muitos com seus negócios encerrados pelo resto de suas vidas, ocasionando um tremendo prejuízo na arrecadação de impostos do Estado, dos municípios e do próprio governo Federal.

 

O movimento dos caminhoneiros paralisou a distribuição de combustíveis no Estado por 10 dias, exagerando; não morreu uma única pessoa; nenhuma loja, nenhuma indústria foi saqueada, tiveram seus patrimônios destruídos, nada, mas ignora-se até ontem o prejuízo moral, econômico e financeiro que a Polícia Militar, com sua fragilidade de comportamento deu ao povo do Espírito Santo.

 

Qualquer pessoa de bom senso, enojada com a monstruosidade da roubalheira protagonizada pela classe dirigente brasileira em todos seus níveis, deixaria de apoiar os caminhoneiros?

 

Pode até que o sr. Homero Mafra e seus companheiros menos expressivos que criticaram o grito pela intervenção militar no sistema político administrativo brasileiro não tenham gostado, mas é quem poderá colocar um fim nesse regime meio sem vergonha, o popular socialista que vem sendo implantado na América Latina, com apoio e comando do Foro de São Paulo.

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo

A reforma do Brasil

12/07/2018

 

A formidável imprensa nacional está caindo de paus e pedras no lombo do deputado federal Jair Bolsonaro, pelo seu atrevimento em ser candidato a presidente da República. Ainda não ouvi o Sr. Bolsonaro ser acoimado de ser viado, ladrão ou corno, mas já o pintaram como “o novo Hitler, sanguinário, machista e um monte mais de sandices, só porque está na crista das pesquisas que são feitas por aí, como sempre foram feitas no Brasil, com direcionamento pouco confessável...

 

O negócio é que o Sr. Bolsonaro está marchando firmemente para uma liderança política imbatível e, as chamadas “viúvas” do Lula querem porque querem tirá-lo da cadeia para que ele seja candidato, única fórmula de encontrar um concorrente à altura para derrotar o Sr. Bolsonaro.

 

Se ocorrerem eleições, não duvidem, o Sr. Jair Bolsonaro será o próximo presidente da República. Podem soltar Lula e essa gente das esquerdas trazer toda montanha de dinheiro depositada no exterior, para ser utilizada contra Bolsonaro, que não vai dar jeito.

 

Com objetivo de colocar toda imprensa nacional contra o Sr. Jair Bolsonaro, políticos dos mais diversos matizes, como Fernando Henrique Cardoso, Paulo Hartung, Marina Silva e outros bobos dizem um monte de tolices e o compara até a Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, eleito com o apoio das chamadas redes sociais, com sua total aversão contra a mídia americana, desprezada por ele na campanha.

 

Bolsonaro não se intimida. Enfrenta a turba da esquerda e recebe aplausos por onde passa, de forma impressionante, pela aglomeração de uma juventude que não se deixa ser levada pela influência dos mais sabidos da política.

 

Comparando o Sr. Bolsonaro a Trump, querem dar uma impressão de que ele seja um candidato antipático, como fazem parecer ser o Sr. Donald Trump. Estão totalmente enganados. Não me arvoro a afirmar que o candidato Jair Bolsonaro, eleito, será um grande presidente. Vamos deixar que ele seja eleito e tome posse, par ver o que irá fazer pelo bem do Brasil.

 

O certo é que, se ocorrerem eleições em outubro próximo (estou torcendo para que não haja), vamos ter o deputado como novo presidente, uma formidável mudança na política nacional, devendo todos nós, diante dos fatos, eleger candidatos ao Congresso Nacional que sejam aliados ao candidato Jair Bolsonaro, porque o político brasileiro é capaz de tudo, para o país não dá certo, pegar fogo...

 

Precisamos de mudanças políticas sérias, uma poderosa influência nova, para mudar o Brasil. Como está, não pode ficar.

 

Bolsonaro promete fazer uma profunda reforma no país. É exatamente o que estamos esperando dele.

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   1997 1996 1995 1994 1993 1992 1991 1990 1989 1988   Anteriores »