Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



O fim está próximo

05/07/2020

 

Outro dia o Josinei, o motorista que me leva nas viagens ao interior do Estado, ou mais longe, com muita segurança e precisão, me fez uma pergunta que, minha resposta o deixou mais ou menos exultante: “Sr. Gutman, o senhor que sabe das coisas, quando vai acabar essa tragédia toda, causada pelo coronavírus?” – Respondi ao Josinei: “Está perto. Ao término das próximas eleições municipais. –“O Sr. acha? ” –” Com certeza! A classe política é ordinariamente burra, inconsequente. Veja o comportamento do governador de Minas Gerais. O Estado vizinho, por ser governado por um empresário, empreendedor, decente, a população está circulando tranquilamente e tem um dos menores índices de morte pelo coronavírus do país e compra remédios, respiradores e produtos diversos para combater a pandemia a um custo mais baixo do que os demais estados brasileiros. ”
  

Minas Gerais, para ser ter uma idéia, possui a terceira maior população do Brasil, tem 32.769 contaminados no dia 26/06. O Espírito Santo, como pouco mais de quatro milhões de habitantes tem 40.406 contaminados. O problema mineiro é que o governador e suas autoridades sanitárias são mais inteligentes, não impôs a prisão domiciliar das pessoas, passou a liberar as pessoas para trabalhar, para circular e vem obtendo os melhores resultados do Brasil. Aqui, pegam um sujeito lá no Tocantins (coisa de comunista) e bota na secretaria da Saúde. Como pode as coisas caminharem assim, ao sabor da ignorância, da crítica de médicos renomados que temos e que assistem essa verdadeira palhaçada no nosso minúsculo território? Como, nos demais estados, onde os governadores são contrários ao presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, e querem derrubá-lo: São Paulo, Ceará, Pernambuco, Rio de Janeiro, Pará e Amazonas. Os mortos nesses estados pelo coronavírus somam 78,25% dos mortos no Brasil. E muita vontade de matar o povo.

Sobre isolamento social, vejam o que nos diz Cláudio Melim: “ Isolamento social não é remédio para o novo coronavírus. As medidas eram apenas para o poder público ter tempo para estruturar e ampliar a capacidade de atendimento dos doentes (nem todos os contaminados ficam doentes). Se o Poder Público não trabalha DIREITO, essa palhaçada do “loquidaum” vai continuar ad infinitum. Todos terão contatos com o vírus cedo ou tarde. Muitos ficarão doentes. Não é possível cogitar a parada da atividade econômica a todo instante. Quem age dessa forma é CANALHA ou retardado. Não há vida sem atividade econômica. De senhora que vende pipoca na porta da escola até a indústria farmacêutica. Tudo é atividade essencial. Se não conseguiram providenciar leitos em 90 dias numa situação tão grave e com dinheiro jorrando por todos os lados, são INCOMPETENTES para permanecer nos respectivos cargos. Parem de dar showzinhos com fechamento de ruas e perseguições patéticas de pessoas caminhando em praças e praias. VÃO TRABALHAR direito seus merdas!!!

Esses políticos inconsequentes serão todos varridos do mapa político do Brasil nas próximas eleições, a começar pelas municipais. Vamos mudar toda essa gente idiota, inconsequente que, confinando as pessoas em casa, suspendendo as atividades econômicas, acham que estão agradando a quem produz. Nem funcionário público, que vive coçando o saco suporta mais esse estúpido confinamento. 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo

O ódio na politica.

04/07/2020

 

Vivemos nos tempos do denuncismo. Se seus inimigos não tiverem nada que dizer de você, que na realidade possa te prejudicar, inventam. Um velho amigo, advogado, Victor Rodrigues Costa, numa reunião, na minha presença, sobre uma observação maldosa em relação a um amigo comum,  um político dirigiu uma ofensa, a quem não estava presente e que, jamais, mereceria ser feita. Victor, em tom baixo, para os circunstantes não ouvirem, deu um recado direto para o interlocutor: “Zé (o nome do gajo era José), esta ilha é uma merda. Aqui, quem não é ladrão, é viado ou corno”. O gajo ficou vermelho, rodou nos calcanhares e foi embora. Era um grandíssimo corno.

 

Acho, sem nenhum rodeio, sem alusão a qualquer pessoa, o dia que precisar escrever aqui, mentindo, tripudiando nas costas de alguém, com fins inconfessáveis, vou parar de escrever, encerrar o que entendo ser jornalismo construtivo.

 

As próximas eleições municipais vão ser um exemplo para a nação e para muitos políticos ordinários. O fenômeno governo de Jair Messias Bolsonaro está sendo festejado como digno de ser seguido, impedindo que a classe política roube, delapide os cofres públicos. Os assaltos eram imorais, vergonhosos. Os prefeitos e vereadores realmente bons, que são poucos, mas existem, devem ser reeleitos, como tenho falado, com relação ao prefeito de Guarapari, sr. Edson Magalhães, um notável empreendedor, um fazedor de rodovias, escola e, agora, um hospital, para uma cidade que está sendo transformada em modelo de organização pública, onde, infelizmente, raros governadores tiveram preocupação com a Cidade Saúde.

 

Pois muito bem! O prefeito Edson está sendo denunciado ao ministério da Saúde, ao presidente Bolsonaro, por estar construindo um hospital municipal, com empréstimo concedido pelo Ministério da Saúde, quando o sr. Luiz Henrique Mandetta era o ministro, um trapalhão com suas medidas idiotas sobre o coronavírus, como se isso fosse um crime. Não poderia ser outro ministro? Algum prefeito de Guarapari ou de outro município pensou em algo parecido?

 

O sr. Mandetta foi ministro da Saúde, não é mais. O que o prefeito Edson está fazendo para o povo de Guarapari, uma cidade importante, a porta de entrada principal do turismo do Espírito Santo, a nossa sala de visita, é um hospital, como raros municípios do Estado tem, e muitos gostariam de ter.

 

Deixem o homem trabalhar em paz, sem os fuxicos dos velhos campanários. Tratem a política como uma coisa séria, onde o bom administrador precisa ser respeitado. Já disse e repito. Nunca precisei de favores da Prefeitura ou de qualquer prefeito de Guarapari ou outro qualquer, mas sou um defensor da construção do município onde estou há 68 anos, ajudando no seu desenvolvimento, daí minha admiração pelo prefeito Edson Magalhães, até prove em contrário.

 

O governo do sr. Jair Messias Bolsonaro é muito sério. Como raros governantes foram, como os militares. Ele tem gente capaz, responsável, para dizer quais são os políticos que estão trabalhando com seriedade no Brasil, não é só no Espírito Santo. Não há necessidade de inventar mentiras, denegrir a imagem de um lutador. Precisamos ter vergonha de impedir o desenvolvimento.

 

O sr. Edson Magalhães está causando uma inveja danada a certo tipo de gente retrógrada, que nunca trabalhou, nunca construiu nada, nem para si.

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2360 2359 2358 2357 2356 2355 2354 2353 2352 2351   Anteriores »