Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Favor não ler

12/03/2018

NOTA– Você vai ler um comentário independente, sem enganos, sem mentiras. Se Você entender que não deva prosseguir com sua leitura, delete-o. Nunca suporte o que não gosta. Se não ler, vai perder a oportunidade de conhecer a verdade.

 

É bom repetir. Se o caro leitor não quiser se aborrecer, ter raiva de ter vindo ao mundo (certamente sem pedir, sem querer), é bom não ler, deletar este comentário, pela sua acidez, suas indignações.

Todo fim de mês, para nós, brasileiros, se constitui numa verdadeira merda, a começar pela classe política que temos. De quem herdamos conjunto de pessoas que, nas campanhas pedindo voto se mostram tão afáveis, promesseiras, vão reformar o Brasil e, se eleitos, se transformam em seres superinteligentes e, uma ponderável parcela, em verdadeiros larápios, dando nessa monstruosidade que aí está, no Lava- Jato, onde os presidentes da República, de fora e de dentro, são os maiores ratos de nossa história e, interessante, a Polícia Federal descobre tudo, mas eles reafirmam que é tudo mentira...

Quem entra numa loja, num supermercado para fazer suas compras, um simples picolé, está sendo assaltado, pelo imposto que os governantes cobram para produzi-lo, preço inigualável em qualquer lugar do mundo, porque, caso contrário, o vendedor quebra, vai à falência. A montanha de impostos que nossos governantes arrecadam, desaparece como que por encanto, não dá para construir a infraestrutura do desenvolvimento econômico nacional. Inventam obras que, se começam não acabam e, se acabam, saem por preços superfaturados, porque ninguém é de ferro... como roubam...

Fim de mês é uma tragédia: conta de energia, gás, IPTU, SPU, IR, tudo mais caro do mundo, como os transportes, a alimentação em geral, o próprio esgoto onde defecamos que, ordinariamente vai à maré mais próxima ou ao depósito de água que nos é vendida, como a mais cara do mundo.

Se for possível, ingresso em qualquer movimento que venha batalhar pela não realização de eleições no Brasil, por muitos e muitos anos, se possível até que eu desapareça, para não ter o desprazer de assistir o que assistimos, o cara saindo correndo puxando uma mala com meio milhão de reais que recebeu de propina. Há anos e anos destroem Petrobras, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Correios, Eletrobrás, sei lá que mais Bras... para pilhar o dinheiro que arrecadam.

Como, o sujeito rouba montanhas de dinheiro, compram até banco, para guardar propinas e, condenados, vão para casa, em prisão domiciliar, para continuar seus “negócios”...

Não tem jeito. Vale a pena viver num país onde você sai de casa, as vezes para fazer um simples passeio com a família, ir a um teatro, tomar um banho de mar, ir ao trabalho e, estranho, saber que invariavelmente não retorna ao lar sem ser assaltado, sem ser atingido por uma bala perdida. Morrer... Que país de ladrões...

 


Imprimir | Enviar para um amigo

Frutos da imaginação

11/03/2018

NOTA– Você vai ler um comentário independente, sem enganos, sem mentiras. Se Você entender que não deva prosseguir com sua leitura, delete-o. Nunca suporte o que não gosta. Se não ler, vai perder a oportunidade de conhecer a verdade.

 

Recente, numa reunião, um empresário defendia a permanência no cargo, até final do mandato, do sr. Daniel do Açai, prefeito eleito de São Mateus, que está sendo processado pela Justiça Eleitoral,por ter distribuído água potável à população, em época eleitoral, granjeando sua simpatia.

O argumento do empresário era de que, um modesto candidato a prefeito de São Mateus, usando a criatividade, fez o que as autoridades municipais, estaduais ou até mesmo federais não tiverem competência para fazê-lo: distribuir água potável à população.

Devido as secas, uma lâmina de água salgada, vinda do oceano, saliniza as águas do rio Cricaré, proibindo sua utilização para o consumo humano. A solução para por - se um fim ao problema é a construção de uma barragem para conter o avanço da Lâmina de água salgada que, sendo mais pesada do que a doce, sobe junto ao leito do rio. A barragem impede seu avanço, represando apenas a água para o consumo da população.

Como os recursos públicos são “escassos” para construir a barragem para conter a lâmina de água salgada, o sr. Açai imaginou distribuir água com a população, o que, no entender do empresário, deveria ser entendido como uma medida humanitária, corajosa, determinada. Então, dizia ele, ao Estado não surge a inteligência para distribuir água à população, mas aparece um homem, que dizem, pouco instruído, para fazer exatamente aquilo que as autoridades não fazem e, como “prêmio”, acaba se elegendo, por merecimento, prefeito da cidade. A velha história. Preso por ter cão. Preso por não ter cão...

Pelo que me parece, o pior problema para uma família é não ter água potável para beber. A água é um dos três elementos mais importantes para a vida (água, Sol e ar) e, foi com o espírito de apoio à sofrida população que o prefeito Açai entendeu que poderia distribuir água.

Mas, vamos supor que o prefeito de São Mateus contrariou a lei, a legislação eleitoral para se eleger, fazendo um favor à população. Por que tanta demora para tirá-lo do cargo? Se for candidato outra vez, em próximo pleito, o sr. Açai vai se reeleger. Lula está aí, processado em segunda instância, prestes para enfrentar a cadeia e fazendo propaganda política. Será que o problema do prefeito de São Mateus foi evitar que a população de sua cidade se livrasse da diarreia provocada pela água salgada?

Vá lá que seja. Pelo menos o sr. Açai teve mais criatividade do que todos políticos juntos, que não tiveram a capacidade de construir um negócio prático e que se tornaria eterno: a barragem de contenção da lâmina de água salgada.

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   1936 1935 1934 1933 1932 1931 1930 1929 1928 1927   Anteriores »