Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Um bom sentido de vida.

08/12/2021

 

Quem conhece Guarapari, entrando na cidade pela ponte, se depara com um posto de gasolina e, do lado direito da ponte, o que se transformou numa espécie de símbolo da cidade, um tigre em fibra de vidro, de tamanho avantajado, como que saudando os passantes, de pé, sobre as patas, com as dianteiras abertas, dando um abraço no transeunte, num convite às fotos.

 

A idéia de colocar ali o tigre, foi do empresário do posto, Dino Simões Pádua, proprietário do primeiro posto moderno de gasolina da cidade, quando Guarapari começava a desabrochar, fruto de uma grande propaganda que dela fazia o então governador Jones dos Santos Neves, das suas areias monazíticas com suas curas milagrosas, de doenças de natureza reumáticas, graças à sua radioatividade, Dino ali montou seu posto e uma pousada.

 

Empresário de uma larga tradição de serviços prestados ao município e à sua sociedade, pontificou também na Câmara Municipal como vereador, impertinente, na defesa dos interesses municipais, de onde se estabeleceu, foi crescendo, defendendo a coletividade e os empresários, sempre com o apoio dos filhos, criados à moda antiga.

 

Dino, meu velho amigo desde quando aportou em Guarapari, está com 95 anos de existência, dedicados ao empreendedorismo, de forma infatigável. Casado com a Sra. Nilza Tereza Hoffman, teve cinco filhos: Carlos, Luiz, Olímpia, Dimas e Paulo, e uma sobrinha de criação, Bebel, como filha.  Viúvo, contraiu novo matrimônio com a Sra. Maria da Penha Gotardo, com quem teve dois filhos: Diana e Diogo e é o patriarca de uma família com 8 filhos e 15 netos, e uma vida à frente dos seus negócios, onde a última palavra é a sua.

 

Esse incansável trabalhador, empresário das maiores tradições do estado, completa hoje, 59 anos, com seu Posto de Gasolina, o “Tigrão”, o guardião de Guarapari, onde as crianças posam para tirar fotografias junto com seus pais.

 

Uma das características que marcam a personalidade de Dino Simões Pádua é sua presença em todos acontecimentos que ocorrem na cidade, para onde é convidado, como uma espécie de honraria, pela sua presença, pelo que faz, em forma de desenvolvimento da cidade.

 

Que Dino tenha uma longa vida, com sua família e seus negócios. Bem merece chegar aos 95 anos com toda lucidez, completando seu posto (“Posto do Dino”) com 59 anos de dedicação exclusiva.

 

 

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo

Do inferno de Dante ao do PT.

07/12/2021

 

Diz Dante Alighieri, em sua Divina Comédia, que o caminho do inferno está povoado de boas intenções. Já o do PT (Partido dos Trabalhadores), no linguajar de Lula, está povoado de más intenções.

 

Em companhia do ex-governador Christiano Dias Lopes Filho, na época deputado federal, fomos ao casamento da filha do senador Álvaro Pacheco, que era suplente de José Sarney, que assumiu em circunstâncias imorais, à presidência da República, graças ao golpe aplicado por Ulysses Guimarães e, por circunstância, o Pacheco suplente se Sarney assumiu a Senatoria.  O enlace matrimonial foi na igreja do Largo de São Francisco e, pela amizade que existia entre o Christiano e o Álvaro, se comprometeu a ir ao casamento da filha. Premido pelas circunstâncias, prometi ao Christiano acompanha-lo. Da Lapa, no Rio de Janeiro, ao Largo de São Francisco era um pulo, mas o ex-governador preferiu pegar um taxi, mas quando alegou ao motorista que era no Largo São Francisco, ele recusou a corrida, informando que era impossível entrar no local, devido a uma grande manifestação contra ao presidente da República, Sarney.

 

Resolvemos ir a pé e, já nas proximidades do Largo, sentimos a tragédia armada. O PT. Com todas suas bandeiras vermelhas e todos seus demônios estavam armados de paus, pedras e até picaretas, tentando destruir um ônibus blindado, do Exército, que levava a comitiva presidencial para a solenidade. A multidão ecoava na praça: “Sarney, ladrão, Pinochet do Maranhão”. Era um negócio “dantesco”, precisando de um grande reforço militar para tirar o ônibus e seus ocupantes das garras dos demônios petistas. Depois, como que por encanto, num processo de estúpida metamorfose, o PT passou para os lados de um dos governantes mais corruptos da história do Brasil, José Sarney, que serviu de escola para o aprendizado petista, onde se cunhou a máxima: “todos os meios justificam os fins”, dando ao Brasil que é hoje, onde assistimos a “vestal” do PSDB, Fernando Henrique Cardoso empurrando o ex-governador Geraldo Alckmin, de São Paulo para ser candidato a vice-presidente da República de Lula, numa demonstração evidente que existe o inferno de Dante ao contrário: “os caminhos do inferno, estão povoados de más intenções, políticas desonestas”.

 

Então, a veemência com que o PSDB, através de suas lideranças, como Fernando Henrique Cardoso e Geraldo Alckmin, o que restou de maiores figuras Partidárias, ainda fora das grades, servindo de muletas podres para apoiar um governante corrupto que, em qualquer país Africano, teria sido decapitado e, no Brasil, a Suprema Corte, com medo de sua língua, o colocou na rua, para ser apedrejado pela multidão hostil, que não suporta mais tanta corrupção.

 

Os caminhos do inferno estão abertos. Vamos ver o que vai acontecer daqui para frente.

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2620 2619 2618 2617 2616 2615 2614 2613 2612 2611   Anteriores »