Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Mensageiros imbecis

26/10/2018

 

As vezes tenho dificuldades em avaliar até que ponto vai minha incredulidade a respeito do que vem ocorrendo no Brasil. Qualquer brasileiro, com um mínimo de discernimento, duvida que Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República, por duas vezes, esteja preso, acusado de corrupção, através de processo perfeitamente regular e com prisão decretada em duas instâncias. Mesmo condenado, os advogados de Lula impetraram 17 habeas corpus, sob os mais “variados” argumentos, (todos iguais)

Matreiro, sabido, empurrou, de dentro da prisão, sua candidatura a presidência da República, esperando, de forma cínica e audaciosa, que um magistrado de plantão, à seu modo e gosto, atendesse às petições dos seus advogados, pela sua liberdade. Quase conseguiu, neste país de justiça duvidosa, um negócio de envergonhar.

Não tem outro jeito, com decisões irrevogáveis contra sua liberdade e nome na chapa de candidato à presidência da República. Mesmo assim foi aplaudido por uma mídia inconsequente e irresponsável como homem que dispõe de 36% das preferências eleitorais. Lula resistiu o quanto pôde, até que foi obrigado, pelas circunstâncias, a apresentar seu substituto na chapa, seu pupilo Fernando Haddad, o homem que quer implantar o socialismo no Brasil, um caso de fanatismo bolivariano...

O clima de campanha chegou a um nível tal que tentaram contra a vida do candidato Jair Bolsonaro, esfaqueado no meio da multidão. Prenderam o criminoso, mas ele apresentou a “mão de Deus” no objetivo criminoso!

No resultado das urnas, o candidato esfaqueado surpreendeu o país conquistando 46,3 dos votos, ante 29% para seu concorrente Fernando Haddad, uma diferença estúpida, em favor do primeiro colocado.

Minha incredulidade veio estampada na primeira página do Estado de São Paulo, jornal fundado em 1875, ou seja, há exatamente 143 anos, tendo passado as piores peripécias no regime do Estado Novo, sob o comando do ditador Getúlio Dornelles Vargas.

Pois muito bem! Na sua edição do dia 10.10.2018, o “Estadão”, na sua primeira página, ao lado da manchete: “Quatro generais coordenam programa de Bolsonaro”, o jornal publicava, no canto direito, matéria com os dizeres em seu título principal “Emissários de Haddad sondam chefes militares”, e vai adiante: “Com a possibilidade do PT voltar ao poder, o ex-presidente Lula instruiu emissários a procurar chefes militares das Forças Armadas, informa Tânia Monteiro. O objetivo foi medir a temperatura dos quartéis caso Fernando Haddad chegue ao Planalto, depois das denúncias de corrupção na Lava Jato. Os interlocutores são três ex-ministros da Defesa: Nelson Jobin, Celso Amorim e José Viegas”.

Nesta altura dos acontecimentos eleitorais, com uma diferença brutal a conquistar por Haddad para ganhar de Jair Bolsonaro, tanto os interlocutores de Lula, ex-ministros da Defesa, o próprio Lula e o candidato Haddad devem ter um delírio ou se trata de verdadeiros imbecís, gente de pouco ou nenhum escrúpulo, que pensa em continuar enganando o povo.

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo

Corrupção endêmica

25/10/2018

 

O mundo conhece as quatros verdades e as quatro mentiras. É impossível transformar as verdades em mentira, como as mentiras em verdade.

Vamos ficar, por enquanto, com as quatro verdades, clareando bem a mente dos nossos leitores, para esse tipo de realidade que muitos fingem não querer ver e muito menos entender.

Vamos lá: 1) O mundo é redondo; 2) sempre existiu noite e dia; 3) sempre existiram pobres e ricos; 4) todos morrem.

Não conheço outras verdades tão insofismáveis. Para se ter uma ideia, Jesus, tido como filho de Deus, morreu aos 33 anos, como conta a história, preso numa cruz, ao lado de dois ladrões. Não inventei a história. Ela existe há dois mil anos, e mais...

Até mais ou menos um ano atrás, diante da tragédia política que vem ocorrendo no país, com a proliferação da corrupção instalada há tantos anos, sem que a sociedade tivesse qualquer esperança, vimos a sucessão de crimes os mais indecentes, contra o patrimônio público, sendo levantados por um magistrado federal, lá em Curitiba, Sérgio Moro, tendo 12 procuradores acompanhado e o aconselhando, e um núcleo da Polícia Federal à prova de qualquer suspeita, investigando os ladrões da pátria.

Acompanhando o trabalho do juiz Sérgio Moro, de dentro do Congresso Nacional, despontou a figura de Jair Bolsonaro. Quando ele surgiu, as “lideranças” dos que pilhavam os cofres públicos avançavam contra Jair Bolsonaro, como se ele fosse o demônio em figura de gente. Bolsonaro passou o que o diabo enjeitava, nas mãos dos asseclas de Lula, os que começaram a imaginar que o modesto deputado de uma pobre sigla pudesse se transformar no destruidor da classe política corrupta que invadiu os poderes nacional, o bando de mentirosos fantasiados de “perseguidos pela ditadura”, para usufruir milhões e mais milhões de benefícios.

A primeira etapa eleitoral foi vencida por Bolsonaro, que varreu da política nacional uma chusma de aventureiros da pior qualidade. Agora, Bolsonaro, que quase lhe tiraram a vida, num atentado covarde, ainda não esclarecido, resistiu aos ferimentos e vai exterminar, com sua eleição dia 28 de outubro em curso, com os bandos de ladrões que ainda resistem ao rolo compressor que ele montou, através das redes sociais.

Sem medo, ao seu lado, é preciso que todos brasileiros se unam a favor da candidatura de Jair Bolsonaro. Só ele, apenas ele, tem a determinação, a coragem, a petulância de nos conduzir contra o bando de ladrões que persiste em destruir a nação.

Não é Bolsonaro apenas que precisa do nosso voto. É o Brasil, todos nós, que não suportamos mais a nação se transformar nesse trampolim imundo.

Avante, com Bolsonaro, gente...

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2050 2049 2048 2047 2046 2045 2044 2043 2042 2041   Anteriores »