Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Lembranças do passado I

07/04/2020

 

Circunstâncias muito especiais, no campo da amizade, levou-me à posição de secretário particular do então governador do Estado, Christiano Dias Lopes Filho, onde tomava conta de tudo, mas de tudo mesmo, até de ser encarregado de conversar (sondar) algumas figuras, como o médico e sanitarista Hamilton Machado de Carvalho, para ser o Secretário da Saúde, um dos melhores que por ali passou, não só pelo elevado grau de conhecimento, pela organização do trabalho que executava e profunda lealdade, um negócio que meu pai chamava de maçônico...

Na responsabilidade de tratar da correspondência, dos compromissos do governador, desde eleito, a tomar posse e deixar o poder. Cuidava de tudo, fazendo da minha casa, na rua Loren Reno, no Parque Moscoso, o primeiro escritório do governador eleito, que morava num edifício bem perto de minha residência, na rua Padre José Anchieta, no Parque Mosco.

Outro dia, através do WhatsApp recebi um comunicado bem interessante: “Boa tarde. Há mais de meio século guardo esta correspondência recebida do amigo, Abraço- Sérgio.”

A correspondência em foco tinha o seguinte teor: Vitória, 17 de outubro de 1966 –

Aos estudantes

Maria Rosa de Araújo e

Sérgio Dário Machado

-Temos a satisfação de comunicar-lhes que o governador eleito, Deputado Christiano Dias Lopes Filho, recebeu com simpatia o convite para paraninfar a turma de quartanistas do Ginásio de Calçado. Lamentavelmente, aquela data de 17 de dezembro, o Governador eleito, pessoalmente estará fora do Estado, havendo possibilidade de comparecimento se a festa de formatura for realizada em 15 de dezembro. Se não houver constrangimento por parte dos estudantes em o governador eleito enviar um representante, na impossibilidade do seu comparecimento, agradeço a gentileza de nos comunicar com a necessária brevidade o que ficou decidido, para que possamos tomar as devidas providências.

-Aproveitamos o ensejo para apresentar as mais atenciosas saudações.”

Ao término do governo, quando dei por encerrada minha penitência de acompanhar o governador Christiano Dias Lopes Filho por todos os caminhos por ele percorrido, ao nos despedirmos perguntei-lhe: “Christiano, o que faço com o arquivo de sua correspondência?” Pensou um pouco e respondeu: “Sei lá, guarda em sua casa, por enquanto:” Está até hoje.

Ao Sr. Sérgio Dário Machado, pelo WhatsApp, mandei-lhe a seguinte mensagem, em resposta à sua:

-Sr. Sérgio – Nada como o tempo. O Senhor deve ser um homem perseverante, dedicado, como RAROS que conheço, como o saudoso Christiano (Dias Lopes Filho).

-Creia fiquei  muito feliz e sensibilizado com sua lembrança.

-A estima e o respeito do Gutman Uchôa de Mendonça.

Ele respondeu: “Grande abraço”.

Será que nasce ainda pessoas iguais ao Sr. Sérgio Dário Machado?

Dúvido.


Imprimir | Enviar para um amigo

Reino da mediocridade.

06/04/2020

 

Sir. Winston Churchill foi um dos melhores estadista que a Inglaterra produziu e é dele a seguinte frase: “Muitos olham para o empresário como o lobo a ser caçado; outros olham como a vaca a ser ordenhada. Poucos enxergam como o cavalo que puxa a carroça.”

 

Todos que se atiram à tarefa de promover o desenvolvimento nacional, invariavelmente são descendentes de estrangeiros: alemães, italianos, libaneses, armênios, poloneses, pomeranos, etc. O sujeito começa, invariavelmente vendendo bugigangas, como o Silvio Santos, o velho Paes Mendonça, descendente de portugueses, os Arouca, filhos e netos do espanhol Oswaldo Arouca, os Matarazzo, os Jatene, os Abílio Diniz, os Buaiz, os Caroni, os Sipolattis a um mundo de gente criada no trabalho, duro, muitos oriundos da agricultura que, evoluindo, chegarem à cidade. Ninguém fez mais pelo Estado do que o empresário Américo Buaiz, um homem que sonhava com o desenvolvimento do Estado, do país.

 

Acompanho com profunda tristeza a paralisia econômica com que se depara a nação brasileira, fruto de uma pandemia provocada pelo surgimento de um vírus (coronavírus) de procedência de pântanos chineses, espalhado pelo mundo pela irresponsabilidade de uma nação comunista, com vontade de dominar o mundo.

 

Eu sou pedreiro, construtor, de profissão e, devido a mania de ler tudo, pelo que disseram especialistas, os melhores sanitaristas entendidos no assunto, o coronavírus tem o poder de proliferação impressionante na baixa temperatura e não suporta temperatura acima de 10 graus centígrados. A utilização de máscaras, para impedir que ele ( o vírus) não entre pelas vias respiratórias, é uma burrice, porque ele entra até pelo canal lacrimal . Então, o vírus no Brasil pode se alojar, através de contato, numa outra pessoa, mas sua ação é quase inofensiva em pessoas que tiveram boa imunidade, podendo causar estragos em pessoas com baixa resistência imunológica. Mas, meu negócio aqui não é bem falar das potencialidades viróticas do coronavírus, sou leigo no assunto, só estou transmitindo o que já li sobre ele, inclusive para que se evite aglomerações  em locais de pouca ventilação.

 

Dentro dos aconselhamentos que os governos vêm dando, estabeleceu-se como critério, para se evitar aglomerações, a suspensão das atividades empresariais. O país está fechado para qualquer tipo de negócios, menos para os supermercados, hipermercados, mercearias, padarias, hospitais, postos de gasolina, transporte público, onde a sabedoria governamental, pelo menos no Espírito Santo, cortou o funcionamento da frota em 30%.

 

Contrariados com a decisão governamental que permitiu o funcionamento dos estabelecimentos de gêneros alimentícios, chamados de essenciais, farmácias e postos de gasolina, sindicalistas totalmente despreparados querem limitar mais ainda o horário de funcionamento dos supermercados, porque os comerciários ficam expostos à contaminação. E os fregueses são imunes ao vírus? Quem está trabalhando pode contrair doenças respiratórias, e os fregueses não?

 

Vejam que até dois anos atrás o Brasil era administrado por chusmas de ladrões da pior espécie, completamente desmascarados, pilhando o país à vista de todo mundo e ainda se achando inocente, como o chefão Lula, hoje escorraçado por onde passa. Que país de merda!

 

O pior, de quebra, para toda essa desgraça causada por um vírus que a China nos mandou, temos uma oposição tida como esquerdista apoiada por um sistema de rádio e televisão desesperados com a falta das tetas gordas do Estado para mamar bilhões de reais de publicidade fajuta.

 

Essa gente, metida  a esquerdopata não sabe  a tragédia econômica que estão montando ao sabor das informações idiotas de um comunistas etíope que está à frente da OMS – Organização Mundial de Saúde.

 

Só uma nação de refinados idiotas para suportar tanta sandice.

 

Não é fácil ser empresário num país de inconsequentes , totalmente de analfabetos.

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2315 2314 2313 2312 2311 2310 2309 2308 2307 2306   Anteriores »