Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Como tudo começou...

18/12/2018

 

Há 50 anos batia na porta do gabinete do então diretor da carteira de Crédito Agrícola e Industrial do Banco Central do Brasil, ocupado pelo economista Ary Burger, em companhia do governador eleito, Christiano Dias Lopes Filho.

Ary era um economista brilhante, nascido em Taquara, no Rio Grande do Sul (20 de novembro de 1921 e falecido em 16 de novembro de 2010). Nos conhecemos no escritório do sociólogo Arthur Rios, no Rio de Janeiro e trabalhamos no Levantamento Socioeconômico que produziu o primeiro diagnóstico da economia do Estado, sob contrato da Findes, quando Américo Buaiz era presidente daquela entidade. Tinha acabado de assumir a direção da Carteira Agrícola e Industrial do Banco Central, quando chegamos a seu gabinete. Com quase dois metros de altura, afável, reclamou do meu não comparecimento à sua posse, mas foi solícito com a apresentação do governador eleito, Christiano Dias Lopes, a quem disse conhece-lo, mais do que qualquer homem público capixaba, de tanto eu falar sobre Christiano.       

Christiano peregrinava por gabinetes diversos, buscando uma abertura para o desenvolvimento do Estado, até que esbarramos no Ary, que conhecia a economia capixaba pelo levantamento que realizamos, quando aventou com a possibilidade da criação de uma Cooperativa de Crédito, subsidiada pelo IBC-GERÇA (Instituto Brasileiro do Café e Grupo Executivo de Recuperação dos Cafeeiros Antieconômicos). Christiano queria um Banco de Desenvolvimento, mas o Ary ponderou que seria melhor começar pequeno, para depois transformar a Companhia de Crédito, que iria estimular outras culturas (cultivares novos), diversificando a lavoura capixaba, que vivia da monocultura cafeeira, em terrível crise.  

 

Me pediu que fosse ao escritório do sociólogo Arthur Rios produzir um documento pedindo ao GERCA um auxílio financeiro para a criação da Companhia de Crédito, para o fomento ao desenvolvimento agrícola do Estado. Levei o documento às 22 horas daquele dia para que o Ary submetesse no dia seguinte à reunião do Conselho do IBC-GERCA, quando foram aprovados recursos da ordem de 8 milhões de cruzeiros novos para formação do capital da CODESCRED. De volta a Vitória, o governador eleito, Christiano Dias Lopes Filho pediu que levasse a boa nova ao sr. Rubens Rangel, que estava no exercício do Governo do Estado, quando pediu ao sr. Dias Lopes que ele poderia indicar, poderia quando então foi escolhido o engenheiro Arthur Carlos Gerhardt Santos, que montou a estrutura do que hoje vem a ser o BANDES – Banco de Desenvolvimento do Estado do Espírito Santo, que o governador eleito, Renato Casagrande, anuncia sua possível transformação numa agencia de Fomento, juntamente com a Aderes, que estariam cuidando das mesmas coisas, com um amontoado de gente, naturalmente, sem maiores finalidades. Acho que o governador Casagrande está muito certo. Coisas da política!

 

 

 

FONTE: JORNAL A GAZETA

 


Imprimir | Enviar para um amigo

Denuncismo

17/12/2018

 

 

 

Não se iludam, não se regozijem antes do tempo, não se preocupam muito com o noticiário espalhafatoso de que, relatório do Coaf (Conselho do Controle das Atividades Financeiras) em descobrimento das operações Lava-Jato pegou um tal de Fabrício José Carlos de Queiroz, que teria movimentado R$1,2 milhão, de janeiro de 2016 a janeiro de 2017. Queiroz trabalhou no gabinete de Flávio Bolsonaro (filho do presidente eleito) até outubro último. Umas das transações do assessor Queiroz, segundo o jornal O Estado de São Paulo, deu um cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira dama, Michelle Bolsonaro.

 

O Brasil está cheio do noticiário do desvio de bilhões de dólares, dos mais imorais episódios de corrupção do mundo e, interessante, a gloriosa imprensa nacional, vetusta, gorda, sai alardeando o fato da mulher do presidente eleito ter recebido um cheque de R$ 24 mil, nominal, um negócio transparente, claro, porque não se dá, como propina, compra de prestígio ou algo semelhante, com um cheque de R$ 24 mil, nominal.

 

Quais os motivos que levaram tantos petistas para a cadeia? Onde está Lula? Onde levarão as declarações do ex-ministro Palocci?

 

Então, na verdade, atrás disso tudo há o temor de que o Coaf venha integrar a pasta do ministro Sérgio Moro, da Justiça, criando suspeitas sobre a honorabilidade da mulher do futuro presidente.

 

Vocês não sabem como funciona o sistema socialista, como é ainda em Cuba, o que acontece com aqueles que desejam ocupar o poder, como o caso presente no Brasil, onde Jair Bolsonaro, antes de tomar posse, está espalhando de volta os comunistas cubanos que vieram para o Brasil sem ser médicos, alguns, como espiões.

 

O tempo é o senhor da razão. Vamos aguardar os acontecimentos, ver tomar posse o novo presidente da República, para ver o que ele pretende fazer.

 

Escrevam onde bem entenderem. Vai precisar ter culhões roxo, para vencer a crise que o PSDB, CUT, MST e as Ongs da esquerda, que viviam se aproveitando da corrupção brasileira, para desgraçar nosso país.  

 

Vai haver o diabo engarrafado, minha gente. Bolsonaro vai ter que enfrentar essa gente que não tem nada a perder.

 

Até prova em contrário, vamos dar integral apoio ao novo presidente. Tropeços existem nas nossas vidas, mas Jair Bolsonaro vai mostrar à nação, ao próprio mundo, ao que ele veio, devidamente preparado para mudar o Brasil.

 

PT, PSDB, DEM, PCdoB, CUT, MST, esse tipo de gente quer mostrar que eles não estão sozinhos nas patifarias nacionais. Aguardem, Bolsonaro vai dar o troco.

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2077 2076 2075 2074 2073 2072 2071 2070 2069 2068   Anteriores »