Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Vencido pela máfia

13/05/2019

 

Sei que é difícil, mas a sociedade brasileira, aquele punhado de 20% que tem o poder de discernir as coisas, entender o que está se passando na política nacional, que, num regime destroçado pela corrupção, é quase impossível um governante, de bons propósitos, se manter no cargo, governar, sem o costumeiro toma lá, dá cá, que formou o sistema republicado nacional, eivado de sacanagem.

Todos nós sabemos que é uma aberração o Congresso Nacional ser povoado com 580 deputados e três senadores por estado. A título de que? Que necessidade existe de uma composição tão heterogênea em comportamentos culturais, onde reina o analfabetismo?

Confesso, não estou desanimado com os quase 150 dias de mandato do presidente Jair Bolsonaro, mesmo admitindo que ele fala muito, para meu gosto. O silêncio, a prudência, o equilíbrio são de ouro e, a caneta, na assinatura de documentos devidamente estudados, repensados, renda mais autoridade, responsabilidade.

Quase todas medidas adotadas até agora pelo presidente da República fazem parte das aspirações populares, do que se esperava de cumprimento de suas promessas de campanha. Sinto, porém, que ele está sendo vencido pela máfia instalada no Congresso Nacional, quando o senador Fernando Bezerra Coelho, do MDB de Pernambuco, anunciou que o presidente vai desdobrar o Ministério do Desenvolvimento em mais duas pastas, de Cidades e Integração. A velha história do empreguismo que tem desgraçado tanto com o Brasil.

Sou só um eleitor esperançoso das atitudes de um governante que quase morreu de uma facada desferida pelo misterioso Adélio Bispo de Oliveira no dia 6 de setembro de 2018 em plena praça pública, em Juiz de Fora, Minas Gerais, quando o então candidato Jair Messias Bolsonaro era carregado às costas por simpatizantes.

Confesso, o anúncio da criação de mais dois ministérios me deixa frustrado, meio  abestado, imaginando do porque acontecem essas coisas nos países...

Quem está do lado de fora, como espectador, enxerga muitas coisas e, confesso, gostaria que o presidente Bolsonaro imaginasse que quem o elegeu, a maioria do povo brasileiro, espera que ele cumpra com o prometido, enfrente a máfia política, essa gente de comportamento impuro que tem levado a nação para um tremendo buraco, talvez, quem sabe, para aquele buraco negro que, dizem, foi descoberto recente, lá nos cafundós do Universo...

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo

Um sonho possível

12/05/2019

 

Sei que nenhum dos meus leitores estão preocupados com o que eu como, se como, se almoço e janto ou se faço apenas uma das coisas mas, desejo esclarecer, sou um notívago, ou melhor explicando, durmo muito tarde e acordo muito cedo, dá para o gasto mas, nesse atravessar madrugadas, pensando no que escrever, me assustei com um pensamento, diante do quadro imoral da política nacional, do que imagino possa acontecer no Brasil da atualidade.

Quero levar meus caros leitores a divagarem, comigo, pelos caminhos do meu pensamento notívago, sobre a situação política do nosso país. Que acham vocês, como reagiriam, se no amanhecer o noticiário da imprensa ou mesmo através das chamadas redes sociais fosse anunciado que os militares, sabendo que essa tragédia em que se envolvem os três poderes da República, não se resolve e o Brasil continua afundando, como diz o ministro da Economia, Paulo Guedes, se as Forças Armadas mandassem um pelotão ao Supremo Tribunal Federal, prender todos seus ministros, servidores graduados diversos, e os trancafiassem numa penitenciária ou numa ilha bem distante, no meio do oceano, cercada por formidáveis cardumes de tubarões? Como reagiria a maioria da população nacional diante de tal noticiário? Vibraria, soltaria foguetes ou morreria de pena dos presos?

O que aconteceria se, simultaneamente, os militares de plantão, em favor de um estado democrático de verdade, fossem até o lado da Praça dosTrês Poderes, cercassem aquele formidável conjunto de prédios, em Brasília (Congresso Nacional), com aqueles dois imensos pratos, um de boca pra baixo e outra de boca pra cima, onde se ajuntam em conluios diversos, 513 deputados e 81 senadores, famintos por cargos, verbas e negócios escusos e os trancafiassem também? Quantos, brasileiros, mesmo os petistas doentes que, pela manhã, e ao cair da noite, nas proximidades da Polícia Federal, em Curitiba, onde aquele “santo” homem está preso, ouvindo a palhaçada: “Lula, eu te Amo”. “Boa noite, presidente Lula”. Será que até essa gente se importaria com a prisão dessa classe política que tanto nos envergonha?

Concomitantemente, os militares, contrariados com esse vergonhoso processo democrático que a nação assiste desde 1985, com essa gentalha roubando escandalosamente, se dirigissem à sede dos governos estaduais, municipais, assembleias legislativas, câmaras municipais e até empreiteiras as mais diversas, tipo Odebrecht e Cia., pegassem seus figurões e levassem todos, mas todos mesmos, para a mesma ilha deserta, rodeada de tubarões e os deixassem lá! Apareceria alguém para protestar contra tamanha façanha militar? Seria esta uma boa solução para impor à nação um processo democrático decente, como querem alguns magistrados e procuradores públicos tipo Sérgio Moro?

Não estou preocupado com o que pensem de mim dos meus sonhos possíveis. Estou preocupado com o que essa gente sem escrúpulos está fazendo com o Brasil. Tenho certeza que, pelo menos, 80% da sociedade brasileira vai vibrar com a atitude dos militares de plantão, em favor da verdadeira democracia.

Só os militares para salvar o Brasil das garras dessa gente maldita.

Vou sonhando!

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2150 2149 2148 2147 2146 2145 2144 2143 2142 2141   Anteriores »