Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



O sexo oposto.

12/01/2019

 

Desde menino, sem saber que existia ainda esse “bicho” chamado de “veado”, meu pai dizia: “Nada melhor do que o sexo oposto”, até que descobri que, lá no meu São Mateus, naquela época, tinha um sujeito, a quem apelidaram de “Cação”, pela sua pele meia cinza, que era uma bichona...

 

Em princípio, detesto vida particular de todo mundo. Esse tipo de “armação” que fizeram com o deputado Luiz Durão, me parece um negócio infame. Ninguém vai para um motel e de lá faz uma ligação,o que está lá dentro com um homem, sei lá por que motivos...

 

Outro dia a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos Damares Alves, numa entrevista, declarou que, agora no Brasil, “menino veste azul e menina veste rosa”, num simples ato de desmistificação da chamada “ideologia de gêneros” que, notórios desvirtuadores de conceitos familiares e dos próprios direitos humanos, dessa esquerda idiota que aportou no Brasil, quer infligir à juventude, através das escolas.

 

Vou em socorro da ministra Damares Alves. O que ela quis dizer, na oportunidade de sua entrevista, foi uma simples alusão contra a ideologia de gênero, pouco se importando, contudo, no fundo, com a cor da vestimenta de quem quer que seja.

 

Alguém precisava surgir para colocar esta nação nos trilhos. O Brasil foi ocupado, politicamente, por um bando de idiotas, dando a impressão de pervertidos sociais, contagiando até as novelas com uma tremenda deseducação sexual, num processo de violência moral contra a sociedade, e sem rodeios, a TV Globo é o principal canal indutor da imoralidade nacional.

 

A ministra Damares Alves teve a coragem de enfrentar a malta de destruidores da moralidade da família brasileira.

 

O governo Bolsonaro, na verdade, assumindo o governo mexeu num vespeiro tão grande que, alvoroçou toda esquerda contra ele.

 

O que lamento é que, o governo Bolsonaro ainda não estabeleceu uma diretriz, uma regra de atuação e, a propósito, não escolheu um porta voz à altura, para falar as coisas de forma determinada e indesmentível. A voz do governo tem que ser através de um porta voz, alguém devidamente instruído e entendido, para não dizer asneiras nem ficar remoendo um mesmo assunto por várias vezes.

 

O que o governo Bolsonaro ainda não entendeu, ao que nos parece, que no dia 28 de outubro de 2018 as urnas mataram o PT. O enterro do PT foi no dia 1º de janeiro de 2019. Passem a administrar o Brasil, manda botar essa gente que roubou na cadeia. Entrem de sola contra a corrupção. Haddad é defunto, fede, esqueçam dele. Deixem que o enterrem politicamente.

 

Se o governo Bolsonaro, se munir de uma conduta rígida, realmente militar, estabelecendo normas de agir e de falar, vai transformar o Brasil numa grande nação. Pelo menos impedindo a ladroagem.

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo

No país do carnaval...

11/01/2019

 

O negócio é mais sério do que vocês estão pensando. Em nota, o ministro da Economia e de muitas coisas, do governo Bolsonaro, Paulo Guedes, declarou: “Não destinaremos recursos para financiarmos o carnaval, parada gay, marcha da maconha, marcha para Jesus, etc. Cada qual faça com seu próprio dinheiro. O dinheiro do povo é para educação, saúde, segurança, saneamento básico, transporte e desenvolvimento”.

Sei lá, acho que estamos diante de um governo determinado, diferente, corajoso, que promete colocar esta nação nos eixos.

O começo está sendo ótimo e, parece, há uma harmonia de pensamento nas ações que estão sendo desferidas para dar ordem à nação. Não se trata de coisas de maluco, tais proibições. O dinheiro arrecadado do povo, em forma de impostos, deve ser utilizado em favor do desenvolvimento, do bem estar de todo conjunto social.

Os carnavais brasileiros são conhecidos no mundo como espetáculos inimagináveis, não só pela grandiosidade, mas como pela verdadeira putaria que tem sido mostrada nas avenidas.

Corruptos, ditadores, governantes inescrupulosos, até ditadores africanos aqui vieram para financiar escolas de samba para aparecerem. São incontáveis os políticos que têm dado dinheiro para aparecer nos desfiles das escolas, contando suas histórias de vida e outras coisas mais.

Nunca, em tempo algum, concordei com as autoridades públicas gastando rios de dinheiro para promover carnaval, construção de sambódromos e outras ignorâncias, com um objetivo de engambelar o povo tolo.

Os promotores de festas populares, que gostam de carnaval, de aparecer, devem preparar seus bolsos para financiar suas presepadas. Não temos uma escola pública que sirva de modelo, de apresentação, as nossas universidades são um lixo, antros de pervertidos, onde são realizadas festas imorais. Não temos segurança, um hospital público decente, transportes de massa á altura de um povo, nada, mas gastamos verdadeiras fortunas em carnaval.

Quem quiser promover seu carnaval, que o faça, bota o trazeiro de fora, faça o que bem entender, mas com seu dinheiro.

Vendo a nota do ministro Paulo Guedes, me entusiasmei, saí da minha promessa de comentar os atos do governo só após decorridos 100 dias, para ter uma avaliação melhor dos fatos promovidos.

Quando o Estado for rico, tiver esbanjando dinheiro, a sociedade puder pagar a maior soma de tributos do mundo, aí, então, façam carnavais até fora de época.

Bolsonaro está chegando, moçada...

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2089 2088 2087 2086 2085 2084 2083 2082 2081 2080   Anteriores »