Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Despreparados I

06/01/2019

 

 

 

Nós, latinos, temos nossos pendores por ditaduras e ditadores. Até bem pouco, uma “plêiade” de políticos ordinários, viviam lambendo a sola do tênis fedorento de Fidel Castro, que passou 50 anos como ditador de Cuba e, decrépito, passou suas funções ditatoriais para o irmão e, para alimentar esses imbecís, por uma questão eminentemente pessoal, a velha União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) sustentaram o sistema ditatorial cubano, até que, em 89 a União Soviética explodiu e largaram os comunistas cubanos de lado por ser notório que Fidel Castro engordava sua conta no exterior às custas dos “rublos camarada”. Veio depois o imbecil Hugo Chavez, que destruiu a Venezuela e, com sua morte, transferiu toda sua maldade para outro idiota, Maduro, que ainda não caiu, de podre que está...

 

 

O povo brasileiro, vendo exemplos ditatoriais nojentos, como o de Cuba, Venezuela, Guatemala, resolveu meter o pé na bunda de Lula e sua turma que, abertamente, afirmavam que desejavam implantar o socialismo no Brasil, a despeito de todas desgraças que estão às nossas vistas.

 

 

 

A força desse bando de inconsequentes é tão grande que quase tiraram a vida de Jair Messias Bolsonaro no meio de uma multidão, em Juiz de Fora, Minas Gerais, quando era carregado pelo povo.

 

 

Tenho raiva de idiotice. Querem porque querem, dizer que o pretenso assassino de Jair Bolsonaro tentou mata-lo a mando de Deus e, surpreendentemente, logo após o crime, chega um avião a Juiz de Fora com advogados de uma banca especializada em defender criminosos.

 

 

É a mesma coisa que aquele bando de petistas, sem muita coisa que fazer, berrando num megafone: “Lula, eu te amo”. “Lula, você é o nosso rei”; Lula, Feliz Ano novo”. Acreditar que um imbecil, saia de meio da multidão, como uma faca na mão e consegue enterrá-la na barriga do candidato Jair Bolsonaro, quase matando-o, à mando de Deus...  É muito idiotice.

 

 

 

Pois tem quem acredite que o sujeito que quase matou Jair Bolsonaro é doido: Mas não come merda e muito menos rasga dinheiro.

 

O Brasil precisa mudar. Não será em quatro anos que acertaremos a vida de uma nação que tem as coisas piores do mundo, a começar pela Justiça.

 

Vamos dar um grande crédito ao novo presidente da República. Pelo menos, sua presença é algo completamente diferente do que assistíamos até então no Brasil.

 

As vezes fico pensando: Compomos uma sociedade de despreparados para ser uma sociedade decente.

 

Será que sairemos desse atoleiro?

 


Imprimir | Enviar para um amigo

Paciência para aguardar.

05/01/2019

 

O problema brasileiro não é apenas político, é de justiça. Aliás, a nação padece, desde os primórdios de sua colonização, de um parasitismo indecente, onde (somos o único do mundo) todos desejam se aboletar em cargos públicos, num indecente, para não dizer imoral, processo de vitaliciedade e irremovibilidade criminoso, que nos fazem ter a brutal carga tributária.

 

O governo que se instalou no país, dia 1º de Janeiro, estando à frente o sr. Jair Messias Bolsonaro, afirma que vai construir um Estado Liberal. Sinceramente, não acho que jamais, o liberalismo seja implantado com todos seus predicados, exatamente porque temos 72% da sociedade composta de analfabetos funcionais (que não sabem interpretar o que leram); a Justiça mais desastradas da face da terra e uma classe política para ninguém botar defeito.

 

O Estado Liberal não pode ter 430 empresas estatais, das mais indecentes. Negócios como Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco do Nordeste, Banestes, Petrobras, Eletrobrás, e por aí vai, como indecentes cartórios, para dar dinheiro a cúmplices de políticos.

 

Creio na coragem e na determinação do novo presidente da República, em transformar  a nação brasileira num Estado Liberal. Com essa classe política? Com essa Justiça? Com o Estado mais burocrático do mundo? Que nação, em volta ao mundo, pode pagar os maiores salários da face da terra a quem está na ativa e na inatividade? Como o sistema do funcionalismo público pode consumir quase todo dinheiro que o país arrecada com 69 obrigações fiscais e parafiscais e 73 arapucas que massacram a coletividade com seus regulamentos, suas taxas, seus carimbos, suas roubalheiras?

 

Como dizia o velho Ruy Barbosa, diante de tanta imoralidade, já naquela época: A Constituição Brasileira deveria ter dois artigos: 1º - Todo brasileiro precisa ter vergonha na cara. 2º- Revogam-se as disposições em contrário.

 

A mim, restam esperanças ainda no Brasil. Faço votos que tudo aquilo que o presidente Jair Bolsonaro prometeu, realize.

 

Não vou gastar todo meu “latim”, agora, apressadamente, mas vou esperar que o novo governo, que se diz liberal, acabe, sepulte, fulmine, com tudo que temos e as demais nações não têm.

 

Nós temos cartórios às pencas, as mais indecentes autarquias, corpo de bombeiros militar (que dá licença para obras), tribunais de contas, aos montes, coisas do arco da velha.

 

Nós vamos chegar lá. Vamos esperar o presidente Bolsonaro completar 100 dias de governo. Afinal, não pode nem dormir direito. Como criticar ou exigir, antes de começar?

 

Vamos ver se ele vai despertar o Brasil, para o futuro.

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2086 2085 2084 2083 2082 2081 2080 2079 2078 2077   Anteriores »